Fim do dia em Leipzig

Leipzig merece muito muito mais, do que apenas ser visitada ao fim de um dia de férias. Eu mereço e preciso bem de mais tempo para visitar convenientemente esta cidade.

O documento que pode encontrar aqui, dá uma melhor ideia do quanto a cidade tem para oferecer.

Reconheço, foi um erro estratégico pensar que Leipzig teria pouco para visitar e ficar a conhecer. Mas como mais é sempre preferível a menos, em termos de conhecimento, decidi que apesar de pouco deveria aproveitar o tempo que tinha para visitar a cidade.

A cidade Leipzig situa-se no leste da Alemanha e pertence ao estado da Saxónia do qual Dresden é a capital. Uma cidade que adquiriu esse estatuto e privilégios de mercado em 1165.

Leipzig será sempre conhecida como um local de comércio. A Feira de Comércio de Leipzig, começou na Idade Média, e é a feira mais antiga de comércio que persiste no mundo. Tornou-se um evento de importância internacional.

A fundação da Universidade de Leipzig em 1409 iniciou o desenvolvimento da cidade como um centro do direito alemão e da indústria editorial, o que conduziu a tornar-se um local do Reichsgericht (Supremo Tribunal), e da Biblioteca Nacional Alemã (fundada em 1912). O filósofo e matemático Gottfried Wilhelm Leibniz nasceu em Leipzig em 1646, e frequentou esta universidade entre 1661 e 1666.

O mapa do centro histórico da cidade, permite uma primeira impressão do que esta tem para oferecer.

A minha visita ao centro da cidade, por incrível que pareça começou pela estação central de comboios, Hauptbahnhof, e não porque cheguei à cidade de comboio mas sim porque o automóvel ficou estacionado perto desse local.

Como acontece em outras estações centrais, esta tem um edifício imponente e alberga no seu interior uma espécie de centro comercial, tal é a variedade de lojas que possui.

Depois da estação central de comboios, segui para o centro histórico da cidade. Depressa constatei que as figuras dos semáforos que tinha achado tão típicas e exclusivas de Berlim, afinal não são exclusividade da capital, antes são reminiscências da antiga DDR (República Democrática Alemã), encontrando-se em várias das cidades que anteriormente integravam a então Alemanha de Leste.

Já no centro histórico da cidade, deparo-me com edifícios bastante interessantes do ponto de vista arquitectónico, como é o caso dos das imagens a seguir apresentadas.

Entre esses edifícios encontra-se o Café Riquet, a Nikolaikirche (Igreja da S. Nicolau) (número 17 no mapa), e a Alte Handelsbörse (Antiga Bolsa de Valores para os comerciantes da cidade) (1) , um edifício barroco do século XVII.

Continuando a explorar a cidade, encontro a praça onde se localiza a Antiga Rathaus (Câmara Municipal) da cidade (23), actualmente o centro do Stadtgeschichtliches Museum (museu da história da cidade).

O deambular pela cidade levou-me por uma estrada pedonal com explanadas e alguns restaurantes e cafés, tudo com um aspecto bastante atractivo e convidativo.

Um dos inconvenientes de visitar uma cidade ao fim do dia, é pouco poder ser visitado no seu interior. Assim depois de passar pela Thomaskirche (Igreja de S. Tomás) (24) e percorrer uma das ruas pedonais mais movimentadas e comerciais da cidade, entrei numa passagem comercial com uma estrutura envidraçada arejada e uma decoração bastante apelativa, e ainda encontrei a fachada do edifício daEscola de Musica de Leipzig.

Para finalizar a visita à cidade nada melhor do que jantar num lugar cheio de charme e com um ambiente acolhedor, o Schiller.

As fotos seguintes permitem espreitar um pouco o que foi a ementa.

16 thoughts on “Fim do dia em Leipzig

    • Olá Vanessa!

      Obrigada pela “legenda” extra aos quadros que decoravam o restaurante. E sim, os pratos além de óptimo aspecto tinham uma sabor bastante desejável e apetecível.

      Beijinhos e obrigada uma vez mais.

  1. Olá querida amiga, desculpe-me o sumiço, ando trabalhando demais e colocando tudo em ordem aqui em casa para as férias da criançada! vamos viajar logo!
    Adoro Leipzing, principalmente o Deutsches Buch und Schriftmuseum, magnífico, com seus manuscritos raros e impressoes antigas. Adoro literatura alema! Gosto tudo bem antigo mesmo.
    Adorei seu post!
    Beijos e uma ótima semana.

    • Bom dia Angela!!!!
      Espero que as suas férias sejam óptimas, para depois partilhar um pouco das mesmas no seu blog.
      Pois quanto a mim, Leipzig deixou-me sobretudo com vontade de lá voltar brevemente, pois fiquei com a nítida sensação de não ter visitado e ficado a conhecer muitos dos locais mais atractivos da cidade.
      Beijinho

  2. Eu acho que a Turista ocasional está a pedir um patrocínio aos leitores para ir a Leipzig outra vez…:) “Eu mereço e preciso bem de mais tempo para visitar convenientemente a cidade”
    Realmente foi acolhedor o ambiente universitário da cidade e os semáforos são tão giros…mas é preciso ter um chapéu para poder atravessar…será porque chove muito?

  3. Olá!
    Após alguns dias de ausência,cá estou de novo.
    Leipzig deve merecer,de facto, uma visita com mais tempo. Foi muito disputada pelos países do leste europeu por ser uma “potência comercial” do norte da Europa, e saltitou de reinos e ducados, antes da formação do mapa político da Europa após a 2ª GR, Guerra mundial.
    Também a capital da Saxónia, DRESDEN, é uma cidade lindíssima.Fica junto ao ELBA e de vez em quando é atingida por grandes cheias. É uma cidade lindíssima que vale a pena visitar. Os bombardeamentos dos Aliados, durante a 2ª guerra, puseram-na em ruínas mas foi primorosamente reconstruída. O centro histórico é um primor!
    Beijinho

    • Sim, Dresden também está nos meus próximos planos de visita. Tenho bastante curiosidade em conhecer a capital da Vestefália, pois diversas fontes são unânimes em reconhecer o quanto a cidade é interessante e tem atracções turísticas dignas de referencia.
      Lembro-me por exemplo de uma colega que tive num curso de alemão que fiz, que tirou o curso de arquitectura, referir-me a importância da obra arquitectónica de reconstrução da estação central de comboios de Dresden, a tal ponto de a ter estudado.

      Beijinho

  4. I’m sorry. Confundi Leipzig com Dantzig. Mas possui uma feira famosa (muito cultural) concorrente da de Frankfurt. E teve muita importância económica… A porcelana é especial!
    Mas a sua maior «riqueza» talvez tenha mais um pendor cultural: ensino, música, cultura em geral. Impunha-se este esclarecimento.
    Beijinhos

    • Desconhecia que Leipzig tivesse porcelana especial. Trata-se de alguma marca famosa particular? Refere-se à Bodo Zeidler?

      Sim, Leipzig é rica nos domínios do ensino, nomeadamente com a sua conceituada Universidade, e da musica com a sua escola de Musica. Como muitas outras cidades alemãs possui eventos culturais diversificados e de reconhecida qualidade.

      E sem dúvida alguma que o seu pendor comercial que advém já da idade média, é altamente conceituado, afinal a sua feira do comércio é a mais antiga do mundo.

      Beijinhos e espero que tenha uma recuperação rápida e sem quaisquer complicações ou surpresas (a minha mãe disse-me que tinha feito uma cirurgia)

      • Porcelana de Meissen, menos de 100k a leste.
        Leipzig não tem a “sua escola de música”, tem muitas escolas de música, Leipzig tem a 2ª feira do livro a seguir a Frankfurt (antes a primeira) da Alemanha, mas é sobretudo, para mim, uma cidade da música. Wagner nasceu lá, Beethovan estreou na Gewandhaus a 9ª na íntegra, etc, etc, (na Augustus-Platz – vejo que não chegou lá, do outro lado do centro h., com a área do T. do Paço, local da ópera, da mencionada Gewandhaus, uma instituição musical tipo Gulbenkian mas em grande, e da MDR-TV e rádio da Alemanha central – Mitteldeustcher Rundfunks) Schumann, Brahms, Mendelssohn viveram lá, e sabe porquê? Por causa de Bach, de Johann Sebastian Bach, que lá viveu e trabalhou 27 anos, a Thomaskirche (uma das 4 igrejas – Kirche=igreja – para onde fornecia música) era “a sua igreja”, morava ao lado, no edifício da Thomasschule – escola de St. Thomas (mas não esta actual). Leipzig é a minha cidade, moro próximo de Lisboa, mas conheço-a melhor que esta, já lá vivi quase um ano como todos os demais residentes. Tem 1/2 milhão de h. e não, não precisa de chapéu por causa da chuva (como alguém “oportuno” disse), no verão também fazem 40º muito tempo (já os tive por 15 dias), sem a humidade de cá e com muito frio no Inverno. E em Lisboa o Inverno passado choveu 3 ou 4 meses quase seguidos, la não chove assim! Simplesmente está numa latitude mais a Norte, mais frio, mas tem Estações, pode lá chegar a 15 de Março com 0º e a nevar, e sair em 15 de Abril com 20º.
        E se como eu fizer desporto, pode correr no meio da cidade uma maratona (42.2k) e só se cruzar com carros quando atravessa (algumas, poucas) estradas. É uma cidade completa, de gente educada e civilizada, cidade cultas, moderna, comercial, literária e sobretudo, para mim, musical. Se entrasse na sala principal da Gewandhaus e ouvisse lá qualquer música, nunca mais entrava no CCB (como eu fiz), e dificilmente o faria na Gulbenkian. Para não falar na qualidade do que ouve, ao melhor nível do mundo e por vezes por quase nada (oiça na Páscoa as duas principais “Paixões” de Bach em pelo menos 12 organizações diferentes de concertos, ou quase todas as semanas na St. Thomas uma cantata de Bach nas liturgias por 2€, ao mais alto nível, mas não pague cá 40€ por um concerto, porque não fazem a mínima ideia de como se toca. E a música ou o resto, é tão caro ou mais barato do que cá.

        Disponha, e volte lá, Paulo C.

      • Boa Noite Paulo Jorge!

        Muito obrigada por todos os seus esclarecimentos e “Inside Tips”, que facultou.
        Como referi no artigo, só estive um fim de dia em Leipzig, nada que se compare com o período que viveu lá, pelo que não fiquei a conhecer a cidade tanto quanto gostaria.
        Já visitei o museu da Porcelana Meissen e gostei bastante. Recomendo sem duvida alguma a quem esteja na região a visita-lo.
        Na Alemanha não faltam mesmo cidades conceituadas por diversos motivos e a música é sem dúvida um deles, como referiu em relação a Leipzig.

        Cumprimentos

      • Claro, claro, fico aliás contente por ter gostado – e ainda espero passar lá muito mais tempo, espero até viver lá.

        Obrigado e disponha

      • Quanto a mim só posso dizer que gosto bastante de viver em Munique, compreendo que goste de Leipzig e que queira viver lá. Eu pelo pouco que vi, fiquei muito bem impressionada.

        Cumprimentos

  5. Não conheço´
    Ouviu falar da porcelana de Meissen?Peças Meissen?
    As1ªs peças de porcelana exibidas na feira de Leipzig, em 1708, genuinamente saxónicas,
    foram criadas graças à formula inventada pelo alquimista e farmacêutico Johann F.Böttger, contratado por Augusto, o Forte, no final do sec XVII.

    • Muito obrigada pelos seus esclarecimentos à minha dúvida.
      A porcelana a que se referia não é então originária de Leipzig mas sim de Meissen. A ligação desta porcelana a Leipzig deve-se a ter sido nesta cidade que foi primeiro apresentada numa feira internacional. A cidade de Meissen pertence também ao estado da Saxónia e fica a noroeste de Dresden.

      A loja que apresentei, a Bodo Zeidler, é justamente de peças da porcelana de Meissen, mantendo inclusivamente o logótipo desta porcelana das duas espadas em azul cruzadas.

      Neste site encontrei um pouco mais acerca da história desta porcelana.

      Uma vez mais muito obrigada por me levar a conhecer esta porcelana, cujo logótipo e peças já tinha encontrado em algumas lojas de decoração por cá.

  6. Ainda bem que ambas nos esclarecemos mutuamente!
    Mas uma cerâmica genuinamente europeia -a 1ª -policromada e brilhante – que tenta combater
    o monopólio da China na Europa, que ainda não usava cerâmica, se não a importada, é um facto histórico importante que significa a vontade ocidental de evoluir e competir! Em Portugal, no tempo do Marquês de Pombal, fez-se o mesmo, apesar da nossa relação comercial privile giada com o Oriente.
    Beijo. Bom fim de semana

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s