O Alhambra, o que torna Granada mais especial

A cidade de Granada encontra-se na base das montanhas da Sierra Nevada, na confluência de três rios, o Beiro, Darro e Genil. Com uma elevação de 738m acima do nível do mar, encontra-se a menos de uma hora ou 70km da costa mediterrânica, a Costa Tropical.

Quando se pensa em Granada, indiscutivelmente associa-se ao Alhambra.

O Alhambra é um complexo palaciano com fortaleza (alcazar), construido durante meados do século XIV pelos governadores Mouros do Reino de Granada (dinastia dos Nasridas) na Al-Andalus, ocupando o topo da montanha da Assabica na extremidade sudeste da cidade de Granada.

Os palácios Mouros do Alhambra foram construídos para o ultimo Emir Muçulmano em Espanha e a sua corte, da dinastia Nasrid. Depois da Reconquista pelos Reis Católicos em 1492, algumas partes foram usadas pelos governantes cristãos.

O Palácio de Carlos V, construído por Carlos V, Sacro Imperador Romano em 1527, foi inserido no Alhambra dentro das fortificações Nasrid.

Depois de ter caído em desuso durante séculos, o Alhambra foi “descoberto” no século XIX pelos estudiosos e viajantes europeus, o que deu origem ao início de obras de restauração.

É hoje uma das maiores atracções turísticas de Espanha, possuindo a mais significativa e bem conhecida arquitectura islâmica no país, em junção com a construção do século XVI e posteriores edifícios cristãos e intervenções no jardim.

O Alhambra é Património Mundial da UNESCO, e inspiração para muitas canções e histórias.

Curiosidade: O Alhambra foi um dos 21 finalistas da eleição das 7 novas maravilhas do mundo, apesar de não ter sido um dos 7 apurados, cuja declaração oficial foi feita em Lisboa a 7 de Julho de 2007. Por mera curiosidade extra, o Palácio de Neuschwanstein, na Baviera, Alemanha, também foi um dos 21 finalistas (e eu admito que desejava para que fosse um dos eleitos).

O mapa seguinte, cuja informação foi retirada daqui, contem identificados os principais pontos de interesse do complexo palaciano com fortaleza do Alhambra.

Há conselhos que devem ser tomados seriamente em consideração.

Tal é o caso da advertência que é feita no site de turismo de Granada sobre a visita ao Alhambra:

“O Alhambra é um dos monumentos mais visitados na Europa. Este facto em junção com as restrições lógicas no acesso por motivos de conservação, significa que nem sempre é fácil obter bilhetes para aceder ao complexo. Para evitar desapontamento, é altamente recomendável reservar os bilhetes antecipadamente, e aprender mais acerca do sistema que permite os visitantes acederem ao complexo de edifícios.”

Eu não segui esse conselho, e não reservei antecipadamente os bilhetes. Era já meio de uma tarde quente de Julho, com muita afluência de turistas no local, pelo que foi de todo impossível adquirir bilhete para visitar a área correspondente ao Palácio Real, ou seja, os Palácios Nasrid (correspondente ao 24 do mapa anterior).

Ainda assim, havia muito que podia ser visitado, pelo que não perdi a oportunidade de adquirir um ingresso, com essa finalidade.

As compilações de fotos, seguintes, ilustram um pouco do que pude admirar e com o que me maravilhei durante a minha estadia no Alhambra.

Na área denominada de Alhambra Superior (44).

Igreja de Santa Maria, também localizada na área do Alhambra Superior.

Palácio de Carlos V (1)

No interior deste Palácio encontra-se o Museu do Alhambra.

Passagem pelo Portão do Vinho (31)

Paisagem avistada da Praça de Cisternas (32) para o Palácio Real ou Palácios Nasrid (24) e Alcazaba (30).

Paisagem avistada sobre a cidade de Granada, o Palácio Real e o Palácio de Carlos V já no interior do Alcazaba.

A fortificação do Alcazaba (30), com as suas torres (27 e 28), praça (26) e jardins (29).

Da Torre de Vigia (28), a vista sobre a cidade, com particular destaque para a catedral de Granada ao centro.

Com temperaturas de Verão tão acentuadas, os imprescindíveis e desejados jardins do Alhambra.

O refrescante Generalife (48).
A paisagem campreste em frente ao Generalife

Pormenores da parede e dos locais de passagem no Generalife, com destaque para a paisagem que dos mesmos se pode alcançar.

Para finalizar, um pouco mais do porquê da sensação refrescante no Generalife.

Para muito mais informações acerca do Alhambra, recomendo este site.

Anúncios

2 thoughts on “O Alhambra, o que torna Granada mais especial

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s