Museu do Chocolate de Colónia

O Museu do Chocolate de Colónia encontra-se num edifício de vidro e metal, que procura assemelhar-se a um navio e possui uma localização óptima, numa península da zona portuária da cidade, sobre o rio Reno e perto do centro histórico da cidade.

O museu encontra-se muito bem organizado, com várias secções distintas, distribuídas pelos 3 andares do edifício.

A primeira secção, bastante interactiva, ilustra a história do chocolate e as várias componentes e características da matéria prima principal, o cacau. Possui também alguns dados económicos/comerciais relacionados com este produto, como os principais países produtores e fornecedores da matéria prima, o cacau, e a distribuição territorial e intensidade da mesma no que concerne ao principais países produtores de chocolate.

Numa espécie de estufa tropical é possível conhecer a planta produtora do cacau, bem como outras plantas/árvores  dos trópicos.

Em seguida é possível conhecer algumas das máquinas industriais utilizadas durante as várias fases do processo produtivo do chocolate.

Numa espécie de fábrica de chocolate envidraçada, aprecia-se o processo automatizado de produção das miniaturas de tabeletes de chocolate da Lindt , que em alguns casos são servidas a acompanhar uma chávena de café.

Na extremidade do edifício, na área envidraçada do mesmo no primeiro andar do museu, encontra-se o local mais concorrido do museu, pelo menos para os chocoólicos. Uma fonte dourada que lembra uma árvore de cacau, ao invés de verter água, verte chocolate líquido e uma funcionária do museu devidamente vestida, oferece a quem passa, um pouco deste “fondue” de chocolate com bolachas de waffles.

Também se pode ficar a conhecer um pouco como são produzidas as trufas de chocolate, que fazem as delícias de muitos (inclusivé eu), através da linha de montagem ao vivo existente.

Em vitrinas próximo desta linha de montagem, também se encontram moldes de figuras de chocolate, e depois as respectivas figuras, bastante apelativas e sugestivas, que quase apetece “devorar” mesmo ali.

Depois de explorado este primeiro andar do museu, no segundo andar descobre-se a história milenar do chocolate, que possui mais de 3 mil anos e começou na Mesoamérica.

“Figuras misteriosas e embarcações fantásticas da cultura ancestral americana transmitem a impressão dos mistérios relacionados com o prazer e consumo precoce   do chocolate e o alto valor atribuído aos grãos de cacau.

Esta história continuou na Europa. Porcelana valiosa e serviços de prata de chocolate  revelam a importância desta bebida de luxo e da prosperidade daqueles que apreciavam no século XVIII”. (extraído daqui, do site do museu)

No terceiro andar do museu, encontra-se um pouco de tudo o que tem a ver com a industria de chocolate, como uma grande diversidade de marcas existentes, algumas peculiaridades e curiosidades relacionadas com as mesmas ou com o chocolate em si.

Também se encontra exposta neste terceiro andar, um pouco da história a evolução da publicidade e marketing relacionadas com o chocolate.

Como um museu que se preze, este possui uma loja que é uma completa tentação, tal a diversidade óbvia de produtos e marcas de chocolate que possui. O difícil foi mesmo não sair de lá carregada de sacos com a panóplia selectiva de chocolates existente.

Houve algo que achei particularmente curioso, e que não resisti a adquirir e levar comigo, depois de sair deste delicioso museu: massa de chocolate da  “die kleine Nudelwelt“.

5 thoughts on “Museu do Chocolate de Colónia

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s