O Residenzschloss de Dresden

O Residenzschloss (identificado no mapa deste folheto com o número 7), Palácio Real Residência de Dresden, é outro dos locais absolutamente imperdíveis na capital da Saxónia.

Antiga residência real da dinastia Wettin é um dos mais impressionantes edifícios renascentistas alemães. Possui três pátios principais à volta dos quais os edifícios individuais do palácio se encontram agrupados. A história da sua construção decorre desde o século XII a fins do século XIX. A Fortaleza original medieval foi expandida convertendo-se num magnífico palácio residencial nos séculos XV e XVI. Devido a um incêndio em 1701, Augusto o Forte mandou reconstruir o complexo com um novo design, entre 1717 e 1719. As celebrações do 800º aniversário da Casa de Wettin foi encarada como uma oportunidade para ser feita uma outra grande renovação no estilo Neo- Renascentista entre 1889-1901.

Tal como a história de muitos outros edifícios alemães, também este Palácio Residência foi destruído em 1945 consequência de bombardeamentos da Segunda Guerra Mundial. Os trabalhos de reconstrução começaram em 1986 enquanto Palácio das Artes e Ciências.

– Pátio grande (na compilação de imagens destaco o pormenor na parede com a data de conclusao da reconstrução em 2013 (MMXIII), reflectindo a expectativa de rigor alemão no cumprimento de prazos)

– Torre do relógio visível no pátio grande, e respectivo mecanismo do relógio.

– Pátio Pequeno (com cobertura envidraçada côncava, e onde se encontram as informações e o guichet para aquisição de bilhetes)

Na visita aos espaços de exposição e museus é proibido tirar fotografias, e como respeitei tal proibição não possuo fotos do interior desses espaços, nem dos seus conteúdos.

O Münzkabinett (Gabinete de moedas e medalhas) e o Kupferstich-Kabinett (Coleção de gravuras, desenhos e fotografias) foram as primeiras coleções a regressarem ao edifício. No primeiro andar encontra-se o Neues Grünes Gewölbe (Novo Cofre Verde) foi aberto aos visitantes em 2004, e o Historisches Grünes Gewölbe (Histórico Cofre Verde) foi reaberto no piso térreo, em 2006. A Türckische Cammer (Câmara Turca – exposição de armaduras e armaria) foi aberta em  2010.

O palácio também alberga uma biblioteca de arte, salas de aula, e as salas de estudo do Kupferstich-Kabinett e do Münzkabinett – todas  abertas ao público em geral.

Sobretudo para mim, os tesouros que alberga no Neues Grünes Gewölbe, de valor incalculável e de uma beleza e trabalho indescritíveis, foi o que mais cativou a minha atenção, apesar de todas as salas e exposições serem deveras interessantes.

“O Cofre Verde é o mais magnífico museu câmara de tesouros na Europa e alberga o Diamante Verde de Dresden, mais de 120 objetos preciosos, e a maioria deles datam do Renascimento até ao final do período barroco. Encontra-se instalado no antigo Palácio Residência de Dresden, e este armazém de tesouros mostra, algumas das obras mais importantes da cultura europeia”.
Sem possibilidade de tirar fotos mas com uma loja na Residência, bastante “recheada” alternativamente adquirir um livro que ilustra esses mesmos tesouros e ainda dois postais. (Por mera curiosidade e para comprovar o quão recheada e diversificada era esta loja, foi aqui que encontrei um livro sobre as livrarias mais bonitas do mundo e em cuja capa figura a Livraria Lello do Porto)
O livro intitula-se “Renaissance and Baroque treasury art: the Green Vault in Dresden” e esta é a sua capa:
São imensas as peças absolutamente únicas, deslumbrantes, e sumptuosas que esta câmara possui e que são apresentadas neste livro. Abaixo são apresentadas apenas  duas das quais adquiri também postais.
Para uma melhor ideia da dimensão destas duas peças, as suas medidas também são aqui apresentadas.
Serviço de café dourado (núcleo de madeira, ouro, prata dourada, pedras preciosas, esmalte, marfim, ferro)
Concepção e trabalho de ourives: Johann Melchior Dinglinger
Esmalte pintura: Georg Friedrich Dinglinger
Esculturas de marfim: presumivelmente Paul Heermann
Dresden, 1697 a 1701
Altura 96 cm, comprimento 76 cm
– O Trono do Grande Mogul Aureng-Zeb (central de madeira, ouro, prata, dourada em parte, aço, esmalte, pedras preciosas, cristal de rocha, pérolas, laca)
Design: Johann Melchior Dinglinger
Trabalho de Goldsmith: Johann Melchior Dinglinger e oficina
Esmalte pintura: Georg Friedrich Dinglinger
Dresden, 1701-1708
Altura 58 cm, comprimento 142 cm, diâmetro 114 cm
Claro que não posso deixar de mencionar a peca que deu o nome a esta câmara de tesouros, o diamante verde de Dresden. Encontra-se incrustado num alfinete de chapeu, e a imagem do mesmo foi retirada do livro que referi anteriormente.
Alfinete de chapéu com o Dresden Verde
O diamante verde com corte em amêndoa de 41 ct, um diamante brilhante de lapidação redonda de 6,28 ct, 411diamantes de lapidação brilhante de tamanho médio a pequeno, prata, ouro.
Obra de Franz Diespach.
Dresden ou Praga, 1769
Altura 14,1 cm, comprimento 5 cm.
Mesmo correndo o risco de me repetir, a Residência é sem dúvida um local incontornável ao visitar Dresden.

4 thoughts on “O Residenzschloss de Dresden

  1. Pingback: Hofkirche, a catedral de Dresden | Turista Ocasional

  2. Pingback: Semperoper, a Casa de Opera de Dresden | Turista Ocasional

  3. Pingback: Um pouco mais do centro histórico de Dresden | Turista Ocasional

  4. Pingback: Visita ao Museu do Cristal em Riedenburg | Turista Ocasional

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s