Zwinger, no coração de Dresden

A ladear a Semperoper, encontra-se o Zwinger (no folheto já apresentado em artigos anteriores encontra-se assinalado com o numero 10).

O Zwinger foi construído em inícios do século XVIII e consiste em pavilhões e galerias que circundam a Festplatz, uma praça usada com propósitos festivos, e que proporciona um vivido pano de fundo cativante e bonito. Incorpora a cultura barroca de Dresden e é uma das principais atrações da capital da Saxónia.

O Zwinger também foi destruído, como tantos outros edifícios em Dresden, consequência dos ataques aéreos de 13 e 14 de Fevereiro de 1945 durante a Segunda Guerra Mundial. Foi posteriormente reconstruido até 1963.

Aqui encontram a planta do complexo Zwinger.

(Na Legenda, as designações com links correspondem aos espaços com museus e galerias de exposição, pelo que para mais informações sobre esses locais clique nos mesmos )

1. Galeria de Arte dos Antigos Mestres
2. Armaria
3. Pavilhão Alemão (onde se encontrava aquando da minha visita, a exposição “Bellotto in Dresden”)
4. Pavilhão da cidade (Pavilhão do Relógio, cujos sinos do relógio são de Porcelana Meissen)
5. Exposição de Porcelana (que se estende à Galeria Curva – localizada entre os edifícios 4 e 5 e entre os 3 e 4 )
6. Torre da Coroa
7. Ponte Wallgraben (Fosso)
8. Salão de Matemática e Física (em obras e a reabrir em 2013)
9. Pavilhão Rampart
10. Pavilhão Francês
11. Banho das Ninfas (Fonte)
12. Lagoa Zwinger
13. Monumento a Carl-Maria-von-Weber
14. Monumento a Robert Schumann
15. Monumento a Heinrich Schütz

O 1 e o 2 incorporam o edifício que é designado de Galeria Semper.
As imagens seguintes ilustram os edifícios que compõem este complexo do Zwinger, apresentados segundo a sua localização conforme a rotação dos ponteiros do relógio (imagine que está no centro do jardim e que começa na onde se encontram as 9h).
Para uma melhor noção do conjunto nada melhor do que através de duas imagens panorâmicas tiradas de dois locais centrais mais ou menos em posições opostas.
Tal como aconteceu no interior dos espaços de exposições da Residência, também no Zwinger acontecia o mesmo, e eu acatei estoicamente tal proibição, apesar da enorme vontade em captar as maravilhas por trás destas paredes, nos seus diversos domínios, desde quadros a armaduras e armas, sem descurar a porcelana.
Esta ultima, a exposição de porcelanas (com porcelanas desde as chinesas e japonesas até culminar com uma grande proporção de peças de porcelana da Meissen), admito que foi a que prendeu mais a minha atencao enquanto os meus dois acompanhantes (o crescido e o de dois palmos) apreciaram mais a relacionada com armas e armaduras.
Através do edifício com a exposição de Armas e Armaduras (2), foi possível aceder  ao edifício contiguo a este, o Pavilhão Alemão, onde se encontrava a exposição “Bellotto em Dresden“, que culmina com uma das suas obras mais emblemáticas desta cidade, a designada “Canaletto view”, cuja imagem, obtida via o postal que adquiri, apresento em jeito de conclusão deste artigo.

9 thoughts on “Zwinger, no coração de Dresden

  1. Querida Turista:
    Simplesmente maravilhoso este post. Deliciei-me a ver as porcelanas no belo video que apresentou. Olhe que o arquitecto americano tem muita pinta! Com uma pála no olho, era um pirata.
    Beijinho, estou a adorar Dresden.

    • Olá!!!
      Se adorou este post, acredite que ia adorar ainda mais o local in loco, pois é absolutamente fantástico.
      Dresden é mesmo uma cidade magnífica que vale mesmo a pena visitar.
      Beijinho e óptimo fim-de semana.

  2. Oi Turista!
    Como estou viajando estava sem conseguir entrar nos blogs que gosto tanto. Que maravilha Dresden. Estou viajando com você. Estou sempre incluindo novos lugares na minha lista quando venho aqui.
    Um beijo e tenha um ótimo fim de semana.
    Claudia

    • Olá Claudia!!!

      Espero que as suas férias “pela neve e pelo frio” estejam a ser magníficas, e fico a aguardar pelos seus fantásticos artigos quando escrever sobre as mesmas.

      Beijinho e um óptimo fim-de-semana para si também

  3. Olá!
    Ser turista, mesmo sendo ‘ocasional’, é delicioso.
    Bergen, do que conheço, tem um encanto especial,
    algo de mágico,de encantamento. Até apetece recuar
    dois séculos e assistir ao quotidiano em tão bela cidade.
    Ver os seus artigos fez-me calor cá dentro Obrigada!
    Bjs

    • Olá!

      Dresden é mesmo uma cidade encantadora (ou como diria a minha mãe: majestosa), e apesar das minhas já elevadas expectativas, as mesmas acabaram bastante superadas.
      Muito obrigada pelo seu comentário tão motivador.

      Beijinhos

  4. Recebi seu e-mail. Deve ter havido algum problema de incompatibilidade entre nossos computadores. Que pena. Mas, te digo que adorei rever a Áustria vizinha da Alemanha e cheia de semelhanças. Minha avó era alemã e quando viajo por essa terras revivo muitas coisas da minha infância.
    O Museu Svarowski é maravilhoso. Simplesmente imperdível. Muito diferente do convencional.
    Um beijo
    Claudia

  5. Pingback: Um pouco mais do centro histórico de Dresden | Turista Ocasional

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s