Stephansdom, a Catedral de Viena

Viena, a capital da Áustria, é uma cidade repleta de atracções turísticas para visitar, algumas realmente imponentes e majestosas, afinal numa cidade imperial não se esperava algo diferente.

Ao nível de edifícios religiosos, por exemplo, possui várias igrejas espalhadas pela cidade, mas nenhuma tem a proeminência da sua catedral, a Stephansdom.

Catedral de Santo Estevão (Stephansdom) é a igreja mãe da Arquidiocese de Viena e assento do Arcebispo de Viena. localizada no centro do centro da cidade, na Stephansplatz (Praça Stephan), possui um design que é um misto entre o românico e gótico. O projecto da igreja actual foi em grande parte iniciado por Rudolf IV e erigida sobre as ruínas de duas igrejas anteriores, sendo a primeiro uma igreja paroquial consagrada em 1147.

Trata-se do edifício religioso mais importante da capital austríaca, um que testemunhou muitos eventos importantes na história da nação e, com as suas telhas multi-coloridas tornou-se um dos símbolos mais reconhecidos da cidade.

As minhas fotos da catedral não fazem minimamente justiça à imponência e grandiosidade do edifício, mas ainda assim revelam um pouco do mesmo.

Eis um pouco da história desta catedral, retirada deste site de turismo de Viena.

“O Duque Rudolph IV de Habsburgo, em 1359, lançou a pedra fundamental da nave gótica, com seus dois corredores. A Torre Sul (Südturm), de 448 metros de altura, foi concluída em 1433 (os vienenses deram-lhe o apelido Steffl, o que também denota a catedral inteira). Após 1511, a construção em estilo gótico cessou, e a inacabada Torre Norte (Nordturm), de 224 metros de altura, foi tampada com uma torre renascentista improvisada em 1579.

Durante o século XVIII, a catedral foi decorada com retábulos barrocos – o painel do altar principal mostra o apedrejamento do seu homónimo Santo Estêvão, primeiro mártir do Cristianismo.

Na Torre Norte, encontra-se o maior sino da Austria, conhecido como Sino Boomer (Pummerin), e existe um um elevador expresso para a plataforma de observação.

Ao lado do elevador da Torre Norte é a entrada para as catacumbas debaixo da catedral, um lugar de enterro subterrâneo que contém o mausoléu dos bispos, os túmulos do  Duque Rudolph, o Fundador, e de 14 outros membros da família Habsburgo, e 56 urnas com os intestinos dos Habsburgos enterrados entre 1650 e o século XIX no jazigo imperial.”

O Interior da catedral é deslumbrante e uma vez mais as imagens seguintes só deixam transparecer um pouco isso mesmo.

Para quem tiver fôlego e não sofrer de vertigens como eu, sugiro que suba os 343 degraus em espiral da torre sul, até a uma altitude de cerca de 246 metros acima do nível da estrada onde, numa atalaia de vigia,  pode apreciar uma vista panorâmica privilegiada sobre a cidade. No entanto devido a obras de renovação na torre, de momento encontra-se vedado o acesso à mesma.

6 thoughts on “Stephansdom, a Catedral de Viena

  1. Cara “Turista”!

    O “post” de hoje, narrado pela “Turista”, fez-me recuar a alguns anos atrás, quando a visitei in loco.

    Falar de Viena, é falar da capital mundial da música, um destino romântico, aprazível e encantador.

    Tal como a “Turista” refere no seu “post”, trata-se de uma “cidade imperial”… . Eu, também, verifiquei que se sente a cada momento, a síntese perfeita, entre a tradição imperial e a palpitante vida contemporânea.

    Quando conheci a sumptuosa catedral de Santo Estevão, a fachada principal estava em restauro, com andaimes. Mesmo assim, não impediu que eu visitasse o seu interior. É deslumbrante, tal como as fotos da “Turista”, assim o demonstram.

    Obrigada por me dar a conhecer a história desta imponente Catedral. Foi muito minuciosa!

    Corroboro em absoluto com a “Turista”, como classifica a cidade de Viena.

    Um beijinho de parabéns!

    • Cara Executiva!

      Sem dúvida alguma que Viena é uma cidade deslumbrante e com imenso que merece ser visitado.

      Eu adorei Viena e o quanto esta tem para oferecer.

      Muito obrigada pelo seu comentário, sempre tão motivador.

      Beijinhos

  2. Ai Turista,

    Estive na Áustria no mês passado, mas não consegui rever Viena. Queria muito ter retornado, mas o tempo não estava a meu favor. Tive que fazer algumas escolhas… Estou lendo seus posts sobre Viena e suspirando… Que cidade espetacular. Simplesmente, belíssima!!!!
    Obrigada por compartilhar sempre posts de tão bom gosto.
    Um beijo
    Claudia

    • Olá Claudia!

      Há sempre mais locais que queremos visitar e rever do que aqueles que o tempo de que dispomos nos permite.
      Mas a sua estadia na Áustria permitiu-lhe igualmente visitar locais muito interessantes.
      Quanto a mim também vou continuar a viajar e sonhar com os seus artigos sobre o Peru.
      Beijinhos

  3. Pingback: Algumas das Igrejas de Viena | Turista Ocasional

  4. Pingback: Ainda no centro de Viena… | Turista Ocasional

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s