Schönbrunn, absolutamente fascinante

Considerado por muitos como a principal atracção turística de Viena, o Palácio e Parque de Schönbrunn, merece realmente toda a proeminência que possui na cidade.

O Palácio Schönbrunn, antiga residência de verão da família imperial, é um dos mais impressionantes complexos de palácios barrocos da Europa.

Palco de uma história real de contos de fadas (sem as fadas), tendo a princesa Sisi (nome pelo qual a Imperatriz Elisabeth da Austria (24.12.1837 – 10.09.1898) era chamada pela família e amigos) como protagonista. Mas uma historia que ao contrário das típicas de contos de fadas não teve um final feliz.

Mas o Palácio e parque Schönbrunn têm uma história que remonta muito mais atrás no tempo.

“A propriedade estava na posse dos Habsburgo desde 1569, e a esposa do imperador Ferdinand II, teve uma residência de verão construída lá em 1642, a que ela chamou de “Schönbrunn” (bonita fonte).

O complexo do palácio e do jardim construído no local a partir de 1696, depois da ocupação turca, foi redesenhado a partir do zero por Maria Theresia após 1743. Na maior parte do ano, a Habsburgos residiam num incontável numero de câmaras necessárias a uma grande família imperial, para além das salas de estado formais.

O Imperador Franz Joseph, que mais tarde se casou com a Sisi e reinou de 1848-1916, nasceu neste palácio em 1830. O monarca passou os seus últimos anos inteiramente no palácio, que se tornou propriedade da nova República da Áustria apenas dois anos após a sua morte.

Actualmente o palácio faz parte do património cultural da UNESCO, devido à sua importância histórica, seus fundamentos originais e aos seus móveis esplêndidos.

Os quartos, mostrados ao público em visitas guiadas, são na sua maioria decorados em estilo rococó. A maioria das paredes e tectos são cobertos com superfícies lacadas de branco e com ornamentos cobertos com folha de ouro.

Lustres de cristal da Boêmia e fogões de azulejos brancos de porcelana também fazem parte da harmoniosa decoração. Os alojamentos e escritórios usados pelo imperador Francis Joseph são simples e muito despretensiosos enquanto, pelo contrário, as salas de estado e quartos de visitas são muito mais luxuosos.

Em 1772, com seis anos de idade, a criança prodígio Wolfgang Amadeus Mozart deu um concerto no Salão dos Espelhos.

Na Sala Redonda Chinesa, Maria Theresa realizou conferências secretas com seu chanceler, o príncipe Kaunitz.

Napoleão reuniu-se com os seus generais no quarto Laque Vieux. No Salão Chinês Azul, o Imperador Karl I assinou a sua abdicação da coroa em 1918, marcando o fim de 640 anos de domínio dos Habsburgos na Áustria e o fim da monarquia.

A Sala dos Milhões, com painéis de pau-rosa e decorada do chão ao tecto com inestimáveis miniaturas indianas e persas, é provavelmente a mais magnífica sala rococó em qualquer lugar do mundo. O Congresso de Viena dançou na Grande Galeria, em 1814-15.Actualmente o governo austríaco dá recepções de Estado nesta sala quando chefes importantes de Estado vêm à Áustria para visitas oficiais.” (texto traduzido daqui)

Escusado será dizer que era expressamente proibido tirar fotografias durante a visita guiada ao interior do palácio, pelo que não possuo qualquer registo fotográfico das salas e salões atrás referidos.

Aqui encontram a planta do extenso jardim e dos vários elementos que o compõem.

Estas são imagens do jardim lateral, o Kammergarten (Jardim da Câmara) captadas das janelas do palácio.

Do lado oposto ao jardim da Câmara, igualmente lateral ao edifício do palácio encontra-se o jardim privado, do Príncipe herdeiro Rudolf.

Por trás do edifício do palácio encontra-se o extenso jardim da propriedade, coroado pela Gloriette ao fundo no cimo da colina, e a fonte de Neptuno ao centro, na base da colina.

A fonte de Neptuno em evidencia.

E desta fonte, a vista para o palácio é igualmente deslumbrante.

Próximo da fonte encontra-se um jardim que é um labirinto e que também vale a pena explorar.

Encontram-se também exemplos de labirintos inscritos em placas de mármore, estes para percorrer com o dedo. Exemplos de labirintos góticos e cretas.

Mas o parque tem muitos mais recantos para explorar e visitar.

De regresso ao complexo de edifícios do palácio, ainda houve tempo para parar no café e saborear um maravilhoso lanche e depois descobrir os segredos do Apfelstrudel tradicional vienense, com uma apresentação da sua confecção em directo.

Termino este artigo salientando que existe um programa especial para as crianças. que abrange tanto o palácio como os jardins de Schönbrunn, e que tornam a visita este local ainda mais interessante quando se viaja como eu, com um acompanhante de dois palmos.

8 thoughts on “Schönbrunn, absolutamente fascinante

  1. Olá.
    Ontem falou-se de Beldevere, hoje de Schönbrunn.
    A Áustria perdeu o 2º para a Alemanha. Coisas da ganância humana, da luta pelo poder que neste caso dá pelo nome de História Contemporânea. É um facto que se a realeza não quisesse competir entre si, não haveria tantas maravilhas para regalar os olhos. Mas há custa disso muito ser humano viveu toda a vida escravizado e às tantas a pensar que cumpria a vontade de Deus!
    Bjinhos

    • Olá!

      Sem duvida alguma que se não fosse a vontade uns superiorizarem-se em relação a outros sucessivamente tal efeito bola de neve, muitos edifícios poderiam nunca teriam sido construidos nem magnifica e sumptuosamente decorados. À conta disso, muitas bolsas devem ter ficado vazias, dívidas amontoadas e o mesmo acontecendo nos dias de hoje.

      Mas para quem tem o privilégio de apreciar tais maravilhas produzidas pelo homem, só pode ficar encantada.

      Beijinhos

    • Olá Ângela!

      O Schönbrunn é mesmo inesquecivel e sublime com tantos locais de interesse. Lá apetece mesmo embarcar numa viagem no tempo à Viena imperial, e apreciar tudo repleto de mais vida luz e cor.

      Beijinhos e Obrigada

  2. QUERO APROVEITAR A OPORTUNIDADE PARA AGRADECER, ESTA MAGNIFICA DESCRIÇÃO DO PALÁCIO DE SCHONBRUNN E DOS SEUS JARDINS.
    RECORDO-ME DE O TER VISITADO, MAS COM A CHUVA, SÓ APRECIEI OS JARDINS À DISTANCIA ATRAVÉS DAS JANELAS ENVIDRAÇADAS DO PALÁCIO. RECORDO-ME IGUALMENTE DE TER VISITADO O BELVEDERE.

    OBRIGADO PELA OPORTUNIDADE QUE ME DEU DE RECORDAR ESTAS VISITAS .
    BEIJOS E VOTOS DE MUITAS E BOAS DESCRIÇÕES A LOCAIS MAGNÍFICOS.

    • Se lhe avivei boas recordações, folgo em saber que o consegui. Esse é também um dos objectivos quando escrevo os artigos. Apresentar locais que eventualmente possam não conhecer, ou partilhar experiências de um local comummente visitado, e com isso proporcionar também momentos agradáveis.

      Beijinho

    • Olá Vanessa!

      Que bom reencontrar-te por aqui.
      Tens toda a razão, para mim o Schonbrunn é realmente inesquecível e num dia de sol fica ainda mais deslumbrante. Eu explorei-o num dia cinzento e com algumas visitas da chuva, e espreitei-o mais tarde num dia de sol, e apesar do local ser sempre magnífico, o sol transforma-o num local ainda fantástico.
      beijinhos

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s