Na margem direita do Reno

Para alguém, como eu, que aprecia bastante vislumbrar castelos, palácios e afins, a Região do Reno Médio é mesmo um paraíso, pois dificilmente se encontram tantos castelos por metro quadrado, noutro local…

Por esse motivo, quando ponderei a estrada a seguir para chegar a Koblenz (Coblença), a decisão não foi difícil. Indiscutivelmente a escolha recaiu na estrada costeira junto ao Rio Reno, desde Bingen am Rhein até Koblenz. A única dúvida recaiu na escolha da margem direita ou esquerda do rio.

Depois de estudar o mapa seguinte, optei por seguir a estrada pela margem esquerda do rio, com o intuito de apreciar melhor a paisagem da margem direita (como ocupava o lugar de passageiro, e não o de condutor, era o lado mais favorável também para fotografar a paisagem).

A paisagem é realmente deslumbrante, e o verde é a cor predominante, proporcionada pelas vinhas já que esta é uma conceituada região vinícola também.

Eis alguns dos Castelos e outros edifícios relevantes que se podem encontrar na margem direita do Reno (sentido Sul-Norte)

Abadia Beneditina de Santa Hildegard, em Eibingen, distrito de Rüdesheim am Rhein.

A sua origem remonta a 1150, quando santa Hildegard de Bingen fundou o Mosteiro de Rupertsberg. Foi dissolvido no início do século XIX, durante o secularização desta parte da Alemanha.

A comunidade actual foi criada por Karl, o sexto príncipe de Löwenstein-Wertheim-Rosenberg, em 1904 e re-estabelecida a partir da Abadia de São Gabriel, Bertholdstein. O convento pertence à Congregação Beuronese dentro da Confederação Beneditina.

Castelo Boosenburg em Oberer Burgweg, Rudesheim.

O Boosenburg foi construído no século XII e serviu como residência durante muitos anos. Em 1830 foi comprado pelo Graf von Schönborn que fez com que o mesmo fosse reconstruído. Desde 1939 tem sido a sede de Carl Jung, e tem sido usado como residência temporária para muitos artistas, incluindo o compositor Brahms. Actualmente é usado regularmente para realizar concertos, e continua a ser uma residência privada.

(Na imagem é o edifício do lado esquerdo com a torre)

Ruínas do Castelo Ehrenfels, perto de Rüdesheim am Rhein.

O castelo foi (re) construído cerca de 1212 a pedido do arcebispo de Mainz com o intuito de defesa contra os ataques constantes do Eleitor Palatino Heinrich V, que, como Imperial vigário de Franconia, se esforçou para reduzir o alcance do arcebispo. O Mainz “equipou” o castelo de pessoal e erigiu um posto aduaneiro para controlar a navegação no Reno, complementada pela Torre dos Ratos (Mäuseturm) abaixo no rio. Fortemente danificado no decorrer da Guerra dos Trinta Anos, o castelo foi finalmente devastado pelas tropas francesas sob o comando do tenente-general Nicolas Chalon du Blé durante o cerco de 1689 ao Mainz.

Ruina do Castelo Nollig, em Lorch, numa colina com o mesmo nome.

Castelo Pfalzgrafenstein, numa ilha do Rio Reno em Kaub.

Construído em 1327 por Ludwig da Baviera, o Pfalzgrafenstein serviu como uma estação de portagem até 1866.

No inverno 1813/14 o castelo evidenciou-se na história europeia. Aqui o Marechal de campo prussiano Blucher conseguiu atravessar o Reno, com o seu exército, o que iniciou a queda de Napoleão.

Castelo Gutenfels, situado 110 m acima da cidade de Kaub e construído em 1220. Foi convertido em um hotel.

– Entrada de túnel

Loreley, um rochedo na margem oriental do Reno perto de St. Goarshausen,  situado a cerca de 120 metros acima da linha d’água. Ele marca a parte mais estreita do rio entre a Suíça e o Mar do Norte. Uma corrente muito forte e as rochas abaixo da linha de água causaram muitos acidentes de barco nessa zona.

Talvez por esse motivo Loreley é também associado ao nome de um espírito feminino da água, semelhante às sereias ou donzelas do Reno, que induzia ao naufrágio dos barcos segundo o folclore popular e alvo de obras de música, arte e literatura.

Castelo Katz, sobre a cidade de St. Goarshausen na Renânia-Palatinado

Foi mandado construir na segunda metade do século XIV (cerca de 1371) para ser usado como  bastião e base militar para proteger o Castelo Rheinfels. Juntos, eles formaram um baluarte fortificado com uma barreira para cobrança de portagem no Reno. O castelo foi bombardeado em 1806 por Napoleão e reconstruído no século XIX, entre 1896-98. Ele é propriedade privada, e não está aberto aos visitantes.

Castelo Maus, encontra-se acima da aldeia de Wellmich (parte de Sankt Goarshausen) que pertence à Renânia-Palatinado. Encontra-se a norte do Castelo  Katz em Sankt Goarshausen.

A construção foi iniciada em 1356 pelo Arcebispo-Eleitor de Trier Bohemond II e continuada durante os 30 anos seguintes pelos eleitores sucessivos de Trier. O intuito da construção do castelo foi para impor os direitos de portagem do rio recentemente adquiridos e para proteger as fronteiras de Trier contra os Condes de Katzenelnbogen (que tinham construído os castelos Katz e Rheinfels). Na segunda metade do século XIV este castelo foi uma das residências do eleitor de Trier.

Actualmente o castelo alberga um aviário que é o lar de falcões, corujas e águias. São encenadas demonstrações de vôo entre finais de Março a inícios de Outubro.

– Castelos Sterrenberg e Liebenstein encontram-se acima da aldeia de Kamp-Bornhofen na Renânia-Palatinado

Os dois castelos são conhecidos pela lenda dos “irmãos antagonistas”.

Heinrich e Konrad, os filhos em muito diferentes de Heinrich Beyer de Boppard, foram criados juntamente com uma parente orfã, Hildegard Brömser, no Castelo Sterrenberg, por quem ambos se apaixonaram. (A história é longa e com reveses, mas bastante envolvente. Se tiverem curiosidade em conhece-la espreitem o site ou a respectiva tradução que fiz do seu conteúdo)

Actualmente o Castelo Liebenstein é um hotel e restaurante enquanto o Castelo Sterrenberg possui um café e restaurante.

Marksburg, é uma fortaleza que se encontra acima da cidade de Braubach também na Renânia-Palatinado.

Trata-se do único castelo medieval do Reno Médio, que nunca foi destruído. É um dos principais locais do Patrimônio Mundial da UNESCO do Gorge Reno. A fortaleza construida em cerca de 1117 foi usada para proteger a cidade de Braubach e reforçar as estruturas aduaneiras, e não como uma residência para as famílias reais.

Em 1900 o castelo foi vendido por um preço simbólico de 1000 Goldmark à Associação de Castelos Alemã, que havia sido fundada um ano antes como uma iniciativa privada para preservar castelos na Alemanha. O Marksburg é a sede desta organização desde 1931.

– Castelo Lahneck é uma fortaleza medieval situada na cidade de Lahnstein em Renânia-Palatinado, a sul de Koblenz. O castelo do século XIII fica numa rocha íngreme saliente acima da confluência do rio Lahn com o Reno, e tem do outro lado do rio, o castelo Stolzenfels em frente.

Construção do castelo Lahneck começou em 1226 por iniciativa do arcebispo de Mainz. O propósito era proteger o seu território, que incluía uma mina de prata.

Os castelos, fortalezas e outros edifícios de Koblenz serão referidos em outros artigos. Por motivos mais do que óbvios este artigo já está demasiado extenso.

A margem esquerda, ou ocidental do Reno também será objecto de um artigo posterior.

Para quem pondere visitar esta região, ficam aqui, desde já, alguns sites que talvez considerem úteis e interessantes:

Visita a 10 castelos desta região, reunida num só bilhete.

Vale do Reno Médio – Região Património Mundial da Unesco

Viagens de barco pelo Reno entre Colónia e Mainz, pela KD Rhine

Região do Loreley

Castelos no Reno

5 thoughts on “Na margem direita do Reno

  1. Menina,

    Que post fantástico. Realmente, um lugar mágico. Esses castelos do Reno estão em meus planos faz tempo… Falta mesmo é tempo para eu conseguir dar conta de tudo que pretendo conhecer. rsrsrs
    Bom saber que alguns desses castelos hoje servem como hotéis. Perfeito para uma hospedagem em grande estilo!
    Maravilhoso post. Parabéns!!!
    Um beijo
    Claudia

    • Olá Claudia!

      Sim, a Região das margens do Reno é mesmo deslumbrante e com dias de sol e calor como desta vez tive a sorte de encontrar, ainda melhor.
      Acho que vai precisar de efectuar várias viagens à Alemanha para a conhecer como merece, pois nao faltam recantos neste país central na Europa.
      Muito obrigada pelo seu comentário tão simpático.
      beijinhos

  2. Pingback: Koblenz, onde o Pai Reno e a Mãe Mosela se encontram | Turista Ocasional

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s