Mais um ano mais uma viagem…

Este ano será a 16ª Viagem Medieval que se realiza em Terras de Santa Maria, ou seja, em Santa Maria da Feira. A viagem decorrerá entre 2 e 12 de Agosto, e este ano viaja até à época de D. Sancho I, o segundo rei de Portugal, e que pelos vistos, se mantém na sombra do Fundador.

O mapa da Viagem Medieval 2012 não se encontrava disponível aquando da realização deste artigo, mas parto do pressuposto que não haverão diferenças de fundo em relação ao de 2011 que aqui coloco, e que dá uma clara indicação da extensão da área adjudicada à Viagem Medieval.

Os números da viagem medieval, segundo o site oficial:

  • 55 grupos de animação;
  • 1400 performances de animação circulante;
  • 11 dias de animação e recriações históricas;
  • Mais de 2000 pessoas a trabalhar diariamente;
  • 900 intervenientes directos na animação;
  • 170 espectáculos;
  • 135 horas de animação durante o evento;
  • 20 áreas temáticas | actividades (algumas das quais especialmente dedicadas às crianças);
  • Numa área de 33 hectares;
  • 16º ano que se vai realizar uma viagem medieval.

Como um evento que já atingiu a idade adolescente, possui uma loja oficial com uma oferta bastante diversificada, e que podem espreitar aqui, um pouco do que possui.

Podem mesmo optar por se vestirem à altura para a ocasião, já que também lá encontram trajes medievais. (Eu admito que até lhes acho piada, mas prefiro manter o conforto de envergar os trajes típicos dos tempos contemporâneos, mais adequados ao clima que se presenciar na altura)

Entrada na Viagem Medieval

Desde o transacto ano, até um determinado horário, a entrada no recinto é livre (até às 17h durante a semana e até às 12h durante o fim-de-semana), mas depois desse hora, os pórticos de acesso são  controlados, e só é possível entrar adquirindo um bilhete diário cujo custo é de 2€.

Alternativamente ao bilhete diário, é possível adquirir uma pulseira que é intransmissível e inviolável e que dá acesso ilimitado ao recinto da Viagem Medieval. Caso a pulseira seja adquirida até 2 de Agosto, o seu um custo unitário é de 3 euros, enquanto durante o evento, custa 4 euros.

A pulseira pode ser adquirida nas lojas Fnac, Livraria LeYa em Aveiro, bem como  juntas de freguesia do concelho de Santa Maria da Feira, Piscinas Municipais de Santa Maria da Feira, Fiães e Lourosa, sede da Feira Viva, Zoo de Lourosa, Posto de Turismo e Biblioteca Municipal de Santa Maria da Feira, Museu Convento dos Lóios, Casa do Moinho (loja oficial), Sociedade de Turismo, Termas de S. Jorge, Museu do Papel, Hotel dos Loios, Hotel Nova Cruz, Hotel Ibis, Hotel WR (S. João da Madeira), loja “Zé Rápido” no Pingo Doce, balcão central do E.Leclerc e do Continente de Mozelos.

As crianças até 1,30m de altura estão isentas de pagamento para acederem ao recinto independentemente do horário em que o façam.

Programa

O programa como os números sugerem, é bastante diversificado e alguns dos eventos, como as justas por exemplo, são à porta fechada, num local próprio para o efeito, e é necessário adquirir bilhete previamente para assistir às mesmas. Mas a maioria dos eventos e da programação decorre no espaco livre do recinto pelo que não existe qualquer custo extra para se assistir aos mesmos.

No momento em que escrevi este artigo o programa de 2012 ainda não estava disponível, mas agora já o podem encontrar no site oficial da Viagem Medieval.

Alojamento

Existem vários hotéis na cidade e nas cidades das proximidades, que oferecem todas as comodidades dos tempos contemporâneos, enquanto viaja até aos tempos medievais. Sites como a booking.com ou a hrs.com dão uma boa noção da oferta disponível.

Mas alternativamente, caso se queira sentir mesmo a viver na época medieval, existe o Campo de Tendilhas, para pernoitar no recinto do evento por um baixo custo. Sem duvida uma alternativa económica para os visitantes mais arrojados e com espírito aventureiro (o que não é de todo o meu caso).

A viver um pouco na época medieval propriamente dita

Por ser possível estacionar os veículos apenas a alguma distancia da área do evento, as ruazinhas adjacentes na cidade também estão vestidas para a ocasião. No recinto, os meios de locomoção são outros, e em geral são puxados por animais de quatro patas e com ferraduras.

Ao chegar à área da viagem medieval, constata-se o que esperado, a predominancia do chão é em “terra batida”, afinal ainda não haviam ruas alcatroadas na época medieval, não é?

Por esse motivo, aconselho vivamente que tomem isso em consideração quando pensarem que calçado usar. Branco e aberto pode estar fora de questão por exemplo,  e mesmo assim quando regressarem ao local de partida contem com o calçado visivelmente imundo e talvez os pés também.

Não faltam barraquinhas onde se pode adquirir comida típica medieval, da nobreza e realeza, como porco no espeto, javali e carne de caça. Tudo confeccionado de forma bastante tradicional e acompanhado por pão, pois talheres só foram inventados mais tarde.

As bebidas são todas servidas em canecas de barro características do evento e com tara, afinal vidro também não era um material usado na época medieval. Diz quem aprecia (o que não é o meu caso que sou fiel à agua), que se pode encontrar vários tipos de sangria muito especial e de óptima qualidade

Além das barraquinhas nas áreas alimentares também se podem encontrar mesas e bancos corridos de madeira, para as pessoas se poderem sentar enquanto apreciam uma refeição (seja ela mais leve e breve ou não).

Numa outra área do recinto, não falta igualmente doçaria típica regional (de várias regiões do país), alguma da qual conventual.

Diversos tipos de artesanato, alguns do quais confeccionados “in loco” também ocupam várias barraquinhas, em certas áreas do recinto.

No extenso recinto são recriadas, ao longo do dia e da noite (as viagens diárias terminam cerca da 01:00 da manhã), situações da época a que a viagem medieval se refere.

Ao passear pelo recinto encontra-se igualmente uma Falcoaria, cujos animais sao objecto de apresentações em determinados horários e usados em alguns eventos.

No recinto também se pode encontrar animação musical de estilo celta por exemplo.

Para as crianças são os espaços de actividades o que mais as atrai, embora o meu dois palmos também aprecie bastante a musica e não se iniba a dançar ao som da mesma.

Por motivos óbvios, as imagens apresentadas ao longo deste artigo, foram tiradas no ano transacto, quando visitei a viagem medieval de então.

Este artigo tem como principal objectivo, alertar para a existência de um evento interessante, que ocorrerá brevemente em Santa Maria da Feira e que tem o seu castelo como centro nevrálgico. Assim caso tenham vontade de participar em tal evento, poderão fazer planos antecipadamente para isso.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s