Em dia de corrida de cavalos…

O dia amanheceu uma vez mais cinzento e chuvoso, e o destino implicava andar de metro em Budapeste.

Mas antes disso, havia um lugar que queria conhecer, a maior Sinagoga na Europa. Com um superlativo como este, tinha mesmo que ver, pelo menos por fora (estava tanta gente na fila para entrar, que os meus acompanhantes demoveram-me da ideia de esperar para chegar a minha vez de a conhecer por dentro) a Sinagoga da rua Dohány.

A seguir então, um mapa do metro tornou-se algo imprescindível, e no site da BKV encontram toda a informação relevante sobre a diversidade de oferta de transportes públicos, preços e horários.

A primeira linha escolhida foi rosa, a M5, entre Astoria (estação mais próxima da Sinagoga) e Oktogon, e daí a linha amarela, a M1. O destino foi Hősök Tere (Praça de Heróis).

Eis algumas das indicações das estações escritas em azulejo, que achei bastante interessantes, ao longo da linha amarela.

A Praça dos Heróis é uma das mais importantes praças de Budapeste. No centro desta  encontra-se o Monumento milenar, um monumento construido em 1896 para comemorar o milésimo aniversário da chegada dos húngaros à Bacia Cárpata. O monumento consiste em dois semi-círculos no topo dos quais estão os símbolos da Guerra e da Paz, Trabalho e Bem-estar, Conhecimento e Glória. Os nichos são decorados com as estátuas dos reis, governadores e personagens famosas da história húngara. Ao pé de cada estátua um pequeno relevo mostra o momento mais importante da vida dessa personalidade.

A coluna coríntia com 36 metros de altura, possui no topo a estátua do Arcanjo Gabriel,  símbolo da religião católica romana. No pedestal as estátuas equestres comemoram Árpád e os chefes das sete tribos húngaras, que estabeleceram os seus povos no actual território da Hungria. Os seus descendentes formaram a dinastia real húngara.

A Praça dos Heróis estava em festa no dia que a visitei e nem a presença de chuva afastou a afluência de publico para assistir ao grande evento do Galope Nacional de Budapeste (Nemzeti Vagta)

Em 2012 as corridas ocorrem a 17 e 18 de Setembro, mas o programa das festividades começa na quarta-feira, 14 de Setembro, pelo que se pretendem visitar Budapeste nessa altura, tem um motivo acrescido para o fazer.

A corrida propriamente dita.

Dos dois lados da praça, voltados para o monumento milenar, estão o Museu de Belas Artes e a Galeria de Arte, ambos competindo pela atenção do visitante.

Por trás da Praça dos Heróis e a envolve-la fica o Parque da cidade (Városliget), um parque publico de 1,2km², com a forma de um rectângulo de 1,4km por 0,97km.

O mapa seguinte do parque assinala os vários marcos turísticos no mesmo e nas suas imediações.

  1. – Restaurante Gundel
  2. Jardim Municipal Zoológico e Botânico
  3. – Grande Circo Municipal
  4. Parque de diversões
  5. Banhos Medicinais e Piscina Széchenyi
  6. – Castelo Vajdahunyad
  7. – Sala Petőfi (sala de concertos sobretudo de musica pop e rock)
  8. – Museu dos Transportes de Budapeste
  9. – Praça dos Heróis (já mencionada)
  10. – Museu das Belas Artes ( já mencionado)
  11. Galeria de Arte ( museu de arte contemporânea já mencionado)

Não explorei o parque profundamente, nem descobri todos os marcos turísticos acima mencionados, mas não perdi a oportunidade, claro, para descobrir o Castelo Vajdahunyad.

O castelo foi construído entre 1896 e 1908 também como parte da exposição do Milênio, que comemorou os 1000 anos da Hungria desde a conquista húngara da Bacia Cárpata em 896. O castelo foi projetado pelo Alpar Ignác com o intuito compilar cópias de vários edifícios relevantes de diferentes partes do Reino da Hungria, especialmente o Castelo Hunyad na Transilvânia (agora na Roménia). Como o castelo contém partes de edifícios de vários épocas, ele exibe diferentes estilos arquitetónicos: românico, gótico, renascentista e barroco. Originalmente ele era feito de cartão e madeira, mas tornou-se tão popular que foi reconstruído em pedra e tijolo. Hoje abriga o Museu Agrícola.

A estátua de Anonymus também se encontra no átrio do castelo. Anonymus viveu no século XII (a sua verdadeira identidade é desconhecida, mas ele era um notário de Béla III da Hungria), e escreveu a crónica Gesta Hungarorum (Feitos do húngaros).

A Capela de Ják, fica entre o edifício do castelo e a entrada principal com a torre.

Também foi construída no estilo românico  para as celebrações milenares de 1896.

O Castelo também participava nas festividades relacionadas com o evento do Galope Nacional e promovia algumas actividades especialmente dedicadas às crianças.

Perto da entrada no castelo podia-se desfrutar de especialidades da cozinha de várias regiões do pais. No meu caso foi a barraquinha com doçaria bastante colorida e muito bem apresentada o que mais despertou a minha atenção.

Com imagens de algo tão apelativo e capaz de despertar a vontade por algo doce… termino este artigo

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s