Gruyères…

A viagem até Gruyères proporcionou, uma vez mais, apreciar as magnificas paisagens típicas dos Alpes Suíços.

Ao pensar em Gruyères talvez a primeira ideia que associe seja a do queijo originário desta região, utilizado no famoso Fondue de queijo, um prato tão típico suíço. Posso assegurar que Gruyères é muito mais do que isso, e pode surpreender imenso pela positiva em termos turísticos.

A própria placa de sinalética na estrada, dá uma clara indicação disso mesmo, mas não revelando tudo, claro.

Chegada às imediações da centro histórico e medieval de Gruyères, ou seja, ao topo da colina isolada a norte dos Alpes, no sopé do monte Moléson, o primeiro desafio foi estacionar o automóvel no parque de estacionamento. Havia lugar no segundo parque um pouco mais a baixo.

Este é o mapa do centro de Gruyeres que encontrei ainda no parque de estacionamento, perto das escadas de madeira que permitem chegar ao patamar superior.

Ainda no parque de estacionamento, a paisagem avistada transmite uma incrível sensação de pacatez, tranquilidade e de contacto com a natureza.

À entrada no centro histórico, um outro placar reforça a ideia de se tratar de uma cidade medieval:

“Gruyères assento dos condes de Gruyère desde o século XII, convida a explorar a sua pequena cidade medieval com as frentes pitorescas das suas casas, restaurantes convidativos e lojas sedutoras. O majestoso castelo com a sua colecção histórica, exposições e espectáculo de multimédia pode leva-lo numa jornada através do tempo.

O Museu HR Giger, criado pelo criador de Alien e o o Museu do Tibete enriquecerão a sua visita com um toque de mistério e refinamento.

Gruyères deu o seu nome à area circundante assim como ao seu saboroso famoso queijo.“

O primeiro local de paragem já no centro histórico foi no posto de informações para recolher folhetos e dados, acerca da região, a maioria dos quais que acabei por nem ler. Serviram essencialmente para desequilibrar o peso nos meus ombros, mas senti-me satisfeita, como se automaticamente tivesse ficado mais instruída sobre o que poderia conhecer.

Apesar de se tratar de um centro turístico onde a afluência de pessoas está presente, para mim perdurou a sensação de pacatez, bem estar, sobressaindo o ambiente descontraído.

No ponto assinalado nos mapas anteriores pelo numero 5, fica o já citado Museu HR Giger, do criador de Alien (o Alien titular e seus elementos acompanhantes foram desenhados por artista surrealista suíço HR Giger).

Visitei o mesmo acompanhada pelos meus dois acompanhantes, mas não possuo fotos da exposição já que era expressamente proibido fotografar a mesma. As fotos seguintes ilustram espaços exteriores ou da loja/recepção e por isso extra-exposição.

Eu achei muito interessante o museu, mas admito que talvez tenha sido um pouco leviandade minha o ter feito acompanhada pelo meu dois palmos, que ao ver as imagens, esculturas e outra memorabília, só me dizia que tinha medo e se agarrava a mim.

Termino este artigo, com uma imagem tirada a partir do segundo andar do museu, e que permite captar o centro histórico medieval da cidade de uma outra perspectiva.

A visita a Gruyères continuará em outros artigos…

Anúncios

6 thoughts on “Gruyères…

  1. Que lindo!! Gostava de passear por essas ruas e de ir a esse museu!
    Mais uma vez obrigada por partilhar connosco essas viagens tão lindas e interessantes.
    Dá vontade de passear consigo 🙂
    um abraço.

    • Olá Maria Nunes!

      Gruyères é realmente uma cidade encantadora e possui uma envolvencia que dá prazer ali estar e respirar na proximidade com a natureza.
      O Museu HR Giger, é bastante interessante, mas admito que com o meu acompanhante de dois palmos nao o apreciei na sua plenitude, pois tive que sair de lá com alguma rapidez para ele não ficar ainda mais assustado 😉
      Fico muito contente por achar que os meus artigos dão vontade de passear pelos locais que descrevo, sinal que cumprem o seu objectivo 😉
      Beijinho e um óptimo fim-de-semana

    • Olá Bruna!

      Sim, realmente Gruyères foi uma muito agradável surpresa, e havendo oportunidade disso, recomendo vivamente uma visita à mesma e arredores, por tudo o que pode oferecer.
      Depois de a ter visitado percebi melhor o porquê de constar em algumas listas dos locais mais interessantes a visitar na Suiça.
      Beijinho

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s