Ravensburger Spieleland – o Parque de diversões da Ravensburger

Quando no fim das férias na Suiça, durante ultima paragem na viagem de regresso a Munique, fiz uma promessa ao meu três palmos, a mesma era para cumprir. E de preferência para cumprir brevemente. Assim cerca de uma semana depois eis que visitei com ele o parque de diversões da Ravensburger.

O mesmo dista de Munique cerca de 195 km, mas o percurso é maioritariamente feito por autoestrada, pelo que não exige muito esforço em termos de condução.

A dificuldade que eu saliento, é realmente quando se sai da autoestrada e se percorre os ultimos quilómetros por estradas locais. Durante esta ultima parte do percurso, só quando já estava mesmo nas imediações do parque é que encontrei sinalização na estrada a indicar o caminho para lá. Resumindo, acho que se estivesse sem GPS  ter-me-ia perdido, mesmo levando comigo as indicações dadas no site do parque, pois as mesmas são claramente insuficientes. Assim, caso pretenda visitar o parque mas não disponha de um GPS, recomendo enfaticamente que imprima previamente as indicações mas através da simulação do percurso feita em sites como o viamichelin.com ou a googlemaps, entre outros do género. A morada do parque é:

Liebenau
Am Hangenwald 1
D-88074 Meckenbeuren

O dia escolhido para a visita ao parque não poderia ter sido mais acertada, porque estava um dia quente, limpo e de sol, como se desejam os de Verão.

Esta é a entrada no parque.

Num enorme placar, em frente aos balcões onde se compram os bilhetes (o horário de funcionamento do parque e o preço de entrada é apresentado neste aqui), encontra-se um mapa do parque com todos os espaços que este tem para oferecer.

Um outro placar, mais pequeno, ao lado deste e com uma régua a acompanha-lo elucida acerca das restrições de cada divertimento, isto é, a partir de que idade as crianças jovens podem andar sozinhas nesse divertimento, até que idade podem andar no divertimento, se é possível sendo mais pequenas andarem no divertimento acompanhadas ou não.

Algumas traduções que podem ser pertinentes:

Kinder ohne Begleitung Erwachsener – Crianças desacompanhadas
Kinder Begleitung Erwachsener – Crianças acompanhadas por um adulto
ab X Jahre – a partir de X anos
nicht möglich – não é possível
ohne Einschränkung – sem limites
oder – ou
und - e

Depois de adquiridos os bilhetes, com um mapa na mão, entrei então com o meu três palmos, no parque de diversões propriamente dito.

Uma paragem de segurança foi feita de imediato. À entrada existia um pequeno balcão com etiquetas autocolantes, para se preencher com o nome da criança e um numero de telefone de contacto, e se colocar posteriormente na roupa da criança. Assim caso a criança se perdesse seria mais fácil ser identificada e reencontrada pelos pais ou responsáveis por ela. As etiquetas autocolantes eram bastante resistentes, pois a que colei na t-shirt do meu três palmos, nunca saiu durante todo o dia.

Uma personagem típica dos livros e jogos da Ravensburger, estava alguns metros à frente, a dar as boas vindas aos visitantes, sobretudo aos mais novos.

Um monte insuflável (21) foi a primeira coisa que o meu três palmos quis experimentar.

Para ficar com uma melhor ideia panorâmica do parque, optei por uma passeio de comboio (24), pois assim poderia descobrir vários dos divertimentos existentes de forma  organizada.

No fim da volta pelo parque, saímos na estação inicial (havia uma outra ao longo do percurso),  com uma muito boa primeira impressão do parque, e com vontade de descobrir mais de perto vários dos divertimentos que vimos à distância.

O parque é dividido em várias áreas temáticas, mas tenho a perfeita noção que não exploramos cada uma delas extensivamente.

Depois da viagem de comboio exploramos um pouco da “quinta” (do 32 ao 35) e descobrimos alguns animais reais, e outros nem tanto.

Os pavilhões do conhecimento com os génios (36), onde é possível as crianças fazerem algumas experiências, é bastante interessante e educativo.

Saindo do espaço denominado de “Grüne Oase” (Oásis Verde), a seguir fomos explorar um pouco do “Kunterbunte und Spielewelt” (Caleidoscópio da diversão e Mundo dos Jogos).

Aí o primeiro jogo que experimentamos foi o dos Bombeiros (47). Confesso que eu e o meu três palmos fomos o ultimo grupo a acabar a prova (que consistia em levar o carro dos bombeiros até às casas que hipoteticamente estavam em chamas, apagar o fogo com duas mangueiras de agua que tinham que ser apontadas para um local específico e depois de ouvir o sinal que o fogo estaria extinto fazer o caminho inverso com o carro dos bombeiros). Foi um jogo muito divertido e gostamos da experiência.

A este seguiu-se o do Labirinto Maluco (51). À entrada do labirinto recolhia-se um cartão, o qual tínhamos que furar quando encontrávamos cada uma das 4 figuras: a princesa, o mocho, o dragão e o fantasma. No fim, o cartão tinha 4 furos diferentes e o objectivo era conseguir chegar ao ponto de partida e sair do labirinto. Prova superada!

Ao lado deste jogo do labirinto é onde se encontra o Restaurante do lago da Dallmayr (53), o que com este nome é sempre um atestado de qualidade por si mesmo, e uma estátua muito colorida no centro de um jardim.

Um outro jogo muito engraçado foi o Voo da Memória (57). Neste, senta-mo-nos num helicóptero, que subia ou descia, conforme descobríamos um par ou não, quando na nossa vez, voltávamos duas peças do quadro em frente. Eu e o meu acompanhante não fomos os vencedores do jogo, mas mantive-mo-nos nas alturas.

A corrida do hipopótamo na agua (59), também foi bastante animada e os salpicos eram muito bem-vindos.

O espaço seguinte explorado foi o “Fix & Foxi Abenteurland” (Terra da Aventura do Fix e Foxi).

Adoramos a corrida relâmpago de foguete (45), com a vantagem que com um travão na mão podia controlar a velocidade, acentuando-a ou diminuindo-a.

Os tractores de cavar terra (38) também são muito divertidos, apesar de nem eu nem o meu acompanhante termos jeito algum para retirar terra do buraco.

A “Entdeckerland” (Terra da descoberta) foi o espaço visitado seguinte.

O Campo da Aventura (62), um parque infantil cheio locais para escalar, subir e descer, fez as delícias do meu acompanhante enquanto eu na sombra o admirava.

Como o meu três palmos ainda não tinha seis anos apesar de ter mais de 1,10m, não pudemos andar no Rafting Alpino (60), que parecia ser bastante divertido.

Foi do cimo do Fun Slide (64), que captei as imagens anteriores com o Rafting Alpino à distancia.

No “Future World” (Mundo do futuro) primeiro passamos pelo aeroporto das crianças (71), um minúsculo parque infantil para os mais pequenos.

Para em seguida sermos um pouco pilotos Galácticos todo-o-terreno (70). Enquanto se espera na fila pela vez de conduzir o jipe, ainda se pode descobrir um pouco acerca das Galáxias  da Terra, de Saturno e do Sol.

Da torre de observação (69), a paisagem sobre o parque é magnifica, sobressaindo os espaços verdes e bem tratados.

O Cinema de Acção 4D (67) era interdito a menores de 8 anos e achava um desperdício de tempo estar a fazer puzzles no parque (quando para isso o meu três palmos teria oportunidade em casa), pelo que também passamos sem parar pelo Centro de Puzzles da Ravensburger (66).

No Käpt’n Blaubär Wunderland (País das Maravilhas do Käpt’n Blaubär) o primeiro local que visitamos foi o das scooter aquáticas (72), o qual achei muito original por ser uma espécie de versão aquática dos carrinhos de choque, mas com uns enormes “pneus” a servirem de amortecedor.

A seguir passamos pela loja no barco de grandes dimensões (76) e fizemos uma viagem de barco numa aventura do Käpt’n Blaubär (77).

Os barcos a pedais num pequeno lago (81), proporcionam um bom momento de relaxe, mesmo exigindo o movimento das pernas para se mover. O meu três palmos também quis ajudar, mas as suas pernas eram curtas para chegarem convenientemente aos pedais.

No Mitmachland (País das mãos em acção)  é onde se concentram os espectáculos do parque, além de muitos outros espaços de diversão. Mas este foi o espaço que ficou mais por explorar, já que o tempo útil se expirou rapidamente. Mas ainda deu para assistir a um pouco do espectáculo com um palhaço mágico trapalhão, que envolvia membros do publico.

Posso afirmar com toda a certeza que passamos um dia muito divertido, sempre entretidos, sem repetir nenhum dos divertimentos existentes, e sem conseguir andar em todos os desejados, pois um dia é manifestamente pouco para tudo o que parque possui à disposição.

O parque está muito bem organizado e em todos os espaços existem restaurantes ou quiosques com artigos alimentares, WC, áreas para descansar e poder “merendar”, lojas…, além claro, da imprescindível sinalização para elucidar acerca das alternativas de caminho a seguir.

Só posso dizer que fiquei mesmo muito bem impressionada e com vontade de voltar.

E desta segunda vez, ao passar pela loja perto da entrada/saída, antes de deixarmos o parque, comprei mais dois jogos para o meu três palmos, ambos electrónicos , para juntar ao que lhe tinha comprado da primeira vez (quando passamos pelo parque apenas de fugida para cumprir uma promessa no fim das férias na Suiça).

Desta vez os jogos foram respectivamente: Wer War’s? – Das 2. Abenteuer (Quem foi? – 2ª Aventura) e o Wo War’s? (Onde Foi?), ambos que exigem bastante atenção e estratégia, podendo ser jogos cooperativos também.

Anúncios

11 thoughts on “Ravensburger Spieleland – o Parque de diversões da Ravensburger

  1. Querida Turista:
    Um sucesso, este seu passeio-promessa com o seu três palmos. Li e reli o post e vi com atenção os pormenores didácticos que as várias brincadeiras apresentam. Aprende-se brincando, não há dúvida. Apreciei o placar com os aconselhamentos aos acompanhantes das crianças, muito útil na prevenção de acidentes. Nem das etiquetas de identificação se esquecem, muito bem. Quanto aos divertimentos em si mesmo, são muito variados e imaginativos. Só alguns não poderão ser visitados em dias de chuva, como os que trabalham a terra. Eu adoraria andar com os gémeos no barco grande, por exemplo. Faz muito bem em oferecer jogos ao seu filhote, são muito educativos e desenvolvem a atenção. Parabéns e obrigada por nos ter proporcionado esta visita virtual.
    Beijinho

    • Bom dia!

      Sim, foi um dia muito bem passado mesmo, e ambos diverti-mo-nos imenso. O parque é muito interessante e prima pela criatividade mantendo uma forte componente didáctica. Como muito bem disse, aprende-se brincando.

      Nos vários parques de diversões que já visitei, todos primam pela garantia ao máximo da segurança, e adoptando tipos diferentes, sejam pulseiras de papel resistente (como no parque da Playmobil por exemplo), ou etiquetas autocolantes para a roupa, todos possuem uma forma de identificar as crianças para minimizar o problema quando estas se perdem.
      O placar à entrada que elucida acerca das restrições aos vários divertimentos, é algo que eles cumprem à risca, mesmo que possa parecer excesso de zelo, como a criança ter que ter mais de 6 anos e mais de 1,10m por exemplo.

      Beijinho e óptimo fim-de-semana para si e sua família

  2. Cara “Turista”

    O artigo da “Turista” é muito informativo e convidativo, para as crianças e seus acompanhantes, quer sejam eles, os pais, avós ou outros.

    Eu diria : Um parque com muita “adrenalina”, para crianças e adultos!

    Através das excelentes fotos e da narração, as atrações das várias áreas temáticas, proporcionam momentos inesquecíveis e de grande diversão.

    Conforme referiu no seu artigo, a segurança e as restrições, transmitem uma certa tranquilidade.

    Tenho, ainda, bem presente, o artigo que a “Turista” fez sobre a “Bracalandia”. Infelizmente, Portugal está muito atrás dos parques de diversão, quer em termos de conservação dos equipamentos, do espaço, quer da própria segurança.

    Um ótimo fim de semana!.

    Beijinho.

    • Boa noite cara Executiva!

      Se considera o meu artigo sobre o parque, informativo e um autentico convite para crianças e adultos visitarem o parque, fico mesmo muito contento porque é sinónimo que cumpre o seu propósito.

      O parque é mesmo muito interessante e só pode proporcionar momentos maravilhosos a quem o visite, sejam eles crianças ou adultos.

      Sem duvida alguma, a sensação de segurança que o parque transmite deixam quem o visita muito mais tranquilo e despreocupado, aproveitando muito mais intensamente o tempo que lá passa.

      Realmente tem toda a razão, a minha experiência no ano transacto na Bracalândia em nada se compara às que tenho quando visito parques de diversões na Alemanha. É uma pena mesmo, que o parque de diversões em Portugal não se reja pelos mesmos padrões de qualidade, interesse e segurança que os alemães.

      Pessoalmente não acredito que tal se deva apenas ao facto de na Alemanha existirem imensos parques de diversões, e a concorrência fazer com que todos procurem oferecer o melhor em termos de qualidade, animação e interesse, enquanto em Portugal, como a Bracalândia (agora denominada de Magikland) usufrui de uma situação de monopólio, achar que “qualquer coisa serve”, porque efectivamente não serve. Acho que na Alemanha não admitiriam algo que não preenchesse elevados padrões de qualidade e interesse, afinal as crianças são das coisas mais importantes que o mundo tem, e para elas só o melhor é aceitável.
      Espero que a Bracalândia, não tenha apenas mudado de nome mas mantenha as condições que encontrei no ano transacto. Espero francamente que tenha melhorado imenso e tenha seguido os bons exemplos que os parques de diversões alemães podem oferecer, por exemplo. Eu quando a visitei no ano passado não fiquei com vontade de voltar, pelo que não posso falar acerca de como ela é no presente.

      Beijinhos e um óptimo fim-de-semana para si e extensivo à sua família.

    • Há muitos locais na Alemanha, nomeadamente parques de diversões, que adoraria visitar acompanhada também por ti e pela minha afilhada. Não tenho a mínima dúvida que nos divertiríamos todos imenso.
      Quando quiseres, é só marcar na agenda 😉

      Beijinhos

  3. Turista,

    Os parques infantis já ficaram para trás na minha vida. Agora só quando vierem os netos. Por hora me divirto bastante com igrejas, museus, restaurantes, novas cidades e por aí vai…rsrsrs
    Mas, para quem tem filhos pequenos é fundamental agradar as vontades deles. Assim, eles ficam mais felizes durante as viagens. E, nada melhor do que ver um sorriso estampado no rosto deles. 🙂
    Bjs

    • A Claudia ainda é muito nova e os seus filhos também, para ser avó num futuro de curto e médio prazo, pelo que para voltar a visitar parques de diversões, vai faltar ainda imenso.

      Mas eu admito que me diverti imenso com o meu três palmos e não apenas por vê-lo a ele apreciar tanto aquele dia que tinha sido dedicado exclusivamente a ele. Ele adorou o seu dia, e nem 5 minutos depois de ter iniciado a viagem de regresso ele de tão exausto adormeceu de imediato e continuou a dormir durante a maior parte do percurso.

      Beijinhos

  4. Pingback: Nesta época Natalícia… | Turista Ocasional

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s