Nördlingen entre Muralhas e Tractores?

Depois da Igreja de S. Salvador (22), a visita a Nördlingen continuou em direcção às muralhas.

No percurso encontrei as Seelhäuser (21), casas geminadas em linha, doadas em 1453 para os pobres, desalojados e necessitados. Trata-se assim de um assentamento social medieval.

Com a reforma em 1905 os 6 apartamentos originais cada um para duas mulheres foi convertido em 12 unidades residenciais. Actualmente o complexo de edifícios está sobre a alçada de uma união de instituições de caridade de Nördlingen.

Percorrendo o caminho em frente a estas casas em linha, um pouco mais à frente deparo-me com as muralhas da cidade e avisto uma das suas torres, a  Feilturm (19), construída em 1395 e que outrora foi usada como prisão. A torre circular data de 1547.

Achei uma homenagem muito nobre e curiosa a que se encontra numa parede da Muralha e diz “Nördlingen espera por vós” sobre uma malha de quadrados com nomes inscritos, provavelmente de pessoas que morreram em serviço.

É possível percorrer as muralhas à volta de toda a cidade histórica medieval, mas optei por circular pela mesma apenas um pouco, e descer numa das suas torres de acesso entre a cidade histórica e o que a rodeia com os jardins e parques verdejantes que acompanham a muralha pelo seu exterior.

Depois de andar um pouco pela área exterior às muralhas, ajardinada, encontrei o Antigo Bastião (20) erguido em 1554, e expandido em 1598/99. Trata-se de um bastião massiço que protegia o lado mais fraco da cidade e que agora serve como um teatro romântico ao ar livre, o Centro Cultural – Ochsenzwinger.

Através deste bastião voltei à área dentro das muralhas e continuei a passear perto destas, até à torre mais antiga da cidade, a Reimlingertor (25). Nesta subsistem partes da torre construída no século XIV. Trata-se da torre voltada para sul o que na altura permitia a ligação da cidade a Augsburg e pelos Alpes a Itália.

A Münzhaus (31), fica nas imediações desta torre. Este edifício, apropriadamente designado de Casa da Moeda, pois entre 1534-1571 foi onde eram cunhadas as moedas do império.

O edifício data de cerca de 1470,  e as empenas enxaimel e o portal foram construído em torno do 1534. Nesse ano Augustin Ainkürn, mestre cunhador de Augsburg, que se tornou  habitante de Nördlingen, adquiriu a propriedade. Em 1545 o edifício foi adquirido pela cidade de Nördlingen. Em 1418 Nördlingen recebeu pelo rei Sigismundo (Imperador a partir de 1433) o privilégio de ser uma das cidade de cunhagem de moeda imperial. Mas a partir de 1571, deixaram de ser lá  cunhadas moedas.

O percurso um pouco à deriva, levou-me depois até ao Alte Schranne (29), um edifício que apesar da sua arquitectura idêntica a outros do centro da cidade se destaca pela sua intensa cor avermelhada. Antigo Mercado de grão serviu desde a antiguidade como um armazém e comércio de grão da cidade e da região de Ries.

O “Schranne” abrange tanto o local como a organização comercial dos Grãos. Já em 1402 a cidade era conhecida pelo “Schranne de grão”.

O edifício existente actualmente do Alte Schranne foi construido por uma decisão do Conselho de Cidadãos a 1 de Outubro 1600, e edificado entre 1601 e 1602. O plano para este edifício foi do então Presidente da Câmara e marceneiro Johannes Pferinger e foi executado por Wolfgang Walberger. O comércio de grãos, para o qual serviu o edifício foi descontinuado em 1937. Como parte da renovação e reparação do edifício em 1996/97 foi criado um salão de mercado e um restaurante, e no primeiro andar um espaço de encontro para exposições e concertos.

Em frente a este edifício encontra-se a Marktbrunnen (Fonte do mercado), uma fonte moderna, com dois agricultores, vários animais e vegetais, simbolizando as transacções comerciais que ocorriam no local.

Circular pelas ruas do centro histórico para apreciar as fachadas típicas dos edifícios e respirar um pouco o ambiente medieval da cidade, desperta a imaginação mesmo dos menos criativos, de tão interessante que é.

Na compilação seguinte também se avista à distancia mais uma das torres das muralhas da cidade, a Deininger Tor (27) que foi edificada entre 1516 – 1517.

Mas no dia que visitei a cidade esta reservava um foco de interesse extra. Nessa dia decorria um desfile muito original, um desfile de tractores, que captou bastante a minha atenção e curiosidade.

Nas imagens deste desfile sobressai também a Kriegerbrunnen, uma fonte construida em memória aos guerreiros da campanha francesa e do Império. Esta fonte foi construida em 1902, no local onde outrora houve uma fonte mencionada em 1480, denominada de Ruben ou fonte dos judeus, e que era muito importante para o fornecimento de agua na cidade A fonte foi projectada pelo escultor Georg Wrba de Munique em Jugendstil (semelhante ao Arte Nouveau) e lembra o Império, em 1871, e os soldados mortos na Guerra Franco-Alemã de 1870/71.

Nördlingen tem mesmo muitos locais de interesse para conhecer, e alguns dos ainda não mencionados, se-lo-ão no artigo seguinte, pois por hoje a visita é uma vez mais interrompida…

Advertisements

8 thoughts on “Nördlingen entre Muralhas e Tractores?

  1. Querida Turista:
    Que interessante aquele “memorial” com os nomes escritos e que efeito bonito que dá. Atraíu-me especialmente as fotos que tirou através das muralhas e que relçam a verdura que as rodeiam. As casinhas parecem de bonecas, com a madeira encorporada. A fonte moderna e os tratores provam que da modernidade de hoje se falará um dia com o mesmo desvelo que nós o fazemos para com o passado. Aguardemos pelo resto, amanhã.
    Beijinho.

    • Bom dia!
      Num dia de sol tudo fica mais bonito, e realmente as fotos tiradas das muralhas sobressaindo o verde dos jardins que as rodeiam ficaram engraçadas.
      Realmente tem razão, as casas parecem mesmo de bonecas.
      A modernidade de hoje será antiguidade do futuro, isso é verdade.

      Beijinho

  2. Cara “Turista”

    Se, no artigo anterior, era percetivel um exemplar das casas em “enxaimel”, no artigo de hoje, constato a predominância deste estilo de arquitetura na cidade e, evidenciando mais a razão do centro histórico, ser considerado medieval.

    O memorial na muralha, revela grande sensibilidade e reconhecimento do povo da cidade, para com quem morreu herói em combate. É um gesto nobre e singelo! Por vezes, os momentos triunfantes na história, são feitos do “ceifar” de vidas, dos que os tornaram possíveis. As pessoas não são meros números, teem nomes e são importantes.

    Os jardins e os parques verdejantes, em redor da muralha, proporcionam um ambiente muito agradável e de descanso.

    Achei muito interessante as duas fontes modernas, a contrastar com o estilo, predominantemente, medieval da cidade.

    Muito original o desfile dos tratores!

    Beijinho.

    • Boa noite cara Executiva!

      Sem dúvida alguma, as casas em enxaimel predominam mesmo na cidade (e em tantas outras medievais do país).

      Gostei bastante das suas frases acerca da homenagem a quem perdeu a vida em batalha. Revela uma grande sensibilidade da sua parte também. E tem toda a razão, as pessoas não são números, são importantes todas e cada uma individualmente.

      O verde nos jardins inspira tranquilidade e descontracção, pelo que percebo perfeitamente quando se refere aos parques verdejantes como proporcionando um ambiente agradável e de descanso.

      A cidade tem varias fontes modernas muito interessantes e originais, e num futuro artigo poderá ver pelo menos uma outra.

      Sim, sim, o desfile de tractores foi bastante inesperado e deveras original.

      Beijinhos

  3. Essas cidades medievais na região da Rota Romântica são incríveis.

    Na sua opinião, qual a mais interessante para conhecer? Seria Rothenburg ob der Tauber mesmo ou você recomendaria alguma outra?

    Obrigado e parabéns pelo blog, cada vez melhor.

    • Boa noite Mario!

      Concordo em absoluto consigo, há cidades mesmo incríveis a integrar a rota romântica alemã.

      Eu acho que a sua aposta em Rothenburg ob der Tauber, está muito bem feita. A cidade é realmente incrível e vai adorar ficar a conhece-la. Há muitas cidades que merecem uma visita, mas atendendo a que o tempo é sempre limitado e que tem que se fazer cedências e preterir uns locais em prol de outros, acho que a sua escolha de Rothenburg é a acertada.

      Muito obrigada pelo elogio, motiva imenso ter um feed-back favorável ao que escrevo.

    • Bom dia Claudia!

      Nordlingen parece mesmo uma cidade cenografica típica de filmes que decorram na idade média.

      Em muitos aspectos é como se pudéssemos fazer uma viagem não apenas no espaço mas também no tempo.

      Beijinhos

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s