O Mosteiro de Benedikbeuern

Benedikbeuern é um município no distrito de Bad Tölz-Wolfratshausen, região administrativa da Alta Baviera, pertencente ao estado da Baviera.

Mantém a imagem de uma aldeia tradicional perto dos Alpes.

É predominantemente conhecida pelo extenso mosteiro beneditino que possui.

“O Mosteiro foi fundado em 739 e foi assistido por São Bonifácio. É um dos mais antigos mosteiros beneditinos, na Baviera. Depois de ter sido destruído pelos húngaros em 955, foi reconstruído com o apoio de St. Ulrich de Augsburgo. Em 1031 a propriedade foi novamente colonizada pelos beneditinos do Tegernsee.
O Mosteiro passou então por um longo período de prosperidade e riqueza. Foi desenvolvida a educação das artes, da ciência e o cultivo de culturas. Em 1250 a biblioteca do Mosteiro contava com cerca de 250 documentos manuscritos. O mais famoso foi o “Carmina Burana”. Não se sabe onde é que esta  significativa colecção de músicas seculares e sagradas da época medieval foi escrita nem como é que foi trazida para o Mosteiro. “Carmina Burana” tornou-se conhecido em todo o mundo por Carl Orff te-lo transposto para a música em 1937.

Um incêndio destruiu a imensa propriedade central do Mosteiro em 1490. Após a guerra dos 30 anos começou outro período benéfico. A Escola Secundária (“Ginásio”) com prioridades em música, matemática e botânica foi reaberta e a Universidade da Congregação Beneditina da Baviera, para a Teologia foi criada. P. Karl Meichelbeck (1669-1734) e o educador e teólogo P. Aegídius Jais (1750-1822) construíram e fortaleceram o nome do Mosteiro como um lugar de vida espiritual, educação e ciência.

A partir de 1669 o Mosteiro foi construído no estilo barroco. Grandes artistas da época, como Georg Asam, Johann Baptist Zimmermann, Johann Michael Fischer, Ignaz Günther, Johann Michael Feuchtmayer entre outros contribuíram para a criação do Mosteiro que existe actualmente.

O Edifício da Economia (“Maierhof”) foi um dos mais impressionantes edifícios agrícolas barroco da década. Ele também foi o centro das extensas actividades agrícolas do mosteiro e uma empresa verdadeiramente excepcional para o seu tempo.

Com a secularização em 1803 terminou o trabalho benéfico dos beneditinos, que durou cerca de mil anos. O Mosteiro tornou-se propriedade privada-secular dedicado à produção de vidro, e entre 1808 e 1818 o famoso cientista Joseph von Fraunhofer trabalhou aqui.

Depois de se tornar propriedade estatal, em 1819, os edifícios foram usados ​​como quartéis, uma base militar, um lar para pessoas com deficiência, uma prisão e um centro de recuperação para os soldados.

Em 1930 a Congregação dos Salesianos de Dom Bosco (SDB) adquiriu a propriedade. Num processo contínuo de renovação, os edifícios foram salvos de caírem em ruínas e assim foram definidas as condições para uma nova vida espiritual e cultural definidas. Seguindo os ideais do seu fundador Giovanni Bosco (1815-1888), os Salesianos de Dom Bosco desenvolveram um centro de educação religiosa numa ciência.

Actualmente, existem duas universidades localizadas no Mosteiro. Os alunos podem ter todos os tipos de graus na “Universidade de Filosofia e Teologia”. Na segunda universidade os alunos podem ter um grau de trabalho social.

O “Centro de Meio Ambiente e Cultura” foi criado na antiga “Maierhof” e é a contribuição da Congregação para a responsabilidade cristã pela criação. Protecção da natureza, educação dos distritos com trilhas naturais e biótopos, meditação e jardim de ervas, bem como excursões guiadas oferecem experiências em primeira mão para os visitantes. Formação educacional e seminários transmitem valores e aprendizado ecológico aos visitantes.” (História do Mosteiro retirada daqui)

Um mosteiro que indiscutivelmente merece uma visita, por tudo quanto representa e pela riquíssima história que possui…

8 thoughts on “O Mosteiro de Benedikbeuern

  1. Querida Turista:
    Que bela visita nos ofereceu. O mosteiro é de facto muito rico em história. O traço deixado pelos beneditinos é sempre muito rico em termos culturais e sociais. Proporcionavam muitos ensinamentos aos habitantes e contríbuiam para a sua organização. Sabe que os poemas do Carmina Burana tinham um conteúdo muito erótico, escritos em latim, que ainda hoje se consideram ser para “maiores de 18”?
    A Igreja do mosteiro é lindíssima. A imagem de Nª Sª é uma maravilha. Adorei a sua reportagem.
    Beijinho.

    • Boa tarde!
      O complexo do Mosteiro é mesmo riquíssimo em história e em termos arquitectónicos.
      Não, não sabia desse pormenor, que os poemas do Carmina Burama tinham um conteúdo muito erótico, mas realmente pensando na historia da peça, faz todo o sentido que assim seja.

      Muito obrigada pelo seu comentário bastante positivo.

      Beijinhos

  2. Cara “Turista”

    A narração do Mosteiro feita pela Turista, “step by step”, dá-me a conhecer um monumento vasto em história.

    A igreja do Mosteiro, é uma autêntica maravilha!

    Parabéns!

    Beijinho.

    • Cara Executiva,

      A igreja é mesmo belíssima e toda a sua envolvente também.

      A sua localização inspira tranquilidade e paz, o que presumo sejam atributos bastante apropriados atendendo ao objectivo primordial do Mosteiro.

      Beijinhos

  3. A beleza da Igreja do mosteiro está mais que adjectivada pelas fotos e narração.
    Talvez seja uma mais valia falar do papel da cultura monástica.
    A ordem dos Beneditinos, originária de uma grande abadia, fundada no monte Cassino, perto de Nápoles, por S. Bento de Núrcia (480-547), para fixar os deveres dos monges escreveu uma regra em que se equilibravam o trabalho manual, os estudos e a oração, que se tornou extensiva e modelo de todos os mosteiros desta ordem.
    Os mosteiros têm uma grande força civilizadora e cultural durante o tempo em que a Europa era devastada pelos bárbaros.
    Por ex.,no séc X os Húngaros atacaram a Baviera, depois de devastarem a Saxónia…As populações refugiavam-se nos mosteiros…
    Mais tarde, o fenómeno cultural que partira das escolas monacais também contribuiu, e muito, para a fundação das universidades.
    Não admira, pois, a trajectória deste mosteiro.
    Beijinhos

  4. Pingback: O Mosteiro de Schlehdorf… | Turista Ocasional

  5. Pingback: Bad Wiessee e o Tegernsee… | Turista Ocasional

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s