Depois das férias…

Este ano o período de férias de Verão, foi longo, bastante longo, mas ainda assim depois de terminado parece que o tempo voou…

Os locais seleccionados foram-no por motivos diversos.

Aquele que mereceu maior antecedência na preparação, resultou de maior ponderação, pois convinha que satisfizesse critérios que poderiam ser antagónicos. Se por um lado no topo da lista estava a vontade de descansar, repousar e desfrutar de banhos de sol e mar, por outro a vontade de descobrir a riqueza arquitectónica, histórica e cultural de um país que ainda não tivesse visitado.

O país que reuniu consenso foi Malta, com 316 km², o quinto menor país da Europa (depois, respectivamente, da Cidade do Vaticano, Principado do Mónaco, a Republica de São Marino e o Principado do Liechtenstein).

Com voos directos a partir de Munique, efectuados pela air malta ou pela Lufthansa afigurou-se realmente o destino ideal.

A Republica de Malta é um arquipélago que tem como ilhas principais, Malta, Gozo e Comino, localizada no centro do Mar Mediterrâneo a 93km de Sicilia e 288km de Tunísia.

Mapa Malta

O artigo de hoje, no entanto, não pretende abordar em particular o período de estadia em Malta, mas uma questão indispensável no que concerne aos preparativos para a mesma. Depois de tratada a questão da viagem em si, voo directo pela Air Malta, outro item não podia ser descurado, o alojamento.

Na posse de uma “inside tipp” de um maltês amigo do meu marido, a pesquisa do hotel incidiu na região/distrito de St Julian’s. Como descreve o site oficial do turismo de Malta os motivos são explícitos: “Sliema e St. Julians são as principais cidades costeiras de estâncias turísticas em Malta e área central para compras, entretenimento e estilo de vida. Elas também abrigam alguns dos mais novos hotéis e apartamentos de Malta. St. Julians e Paceville são as principais áreas de diversão nocturna de Malta”.

Malta - St Julian's Postcard

A escolha do hotel acabou por recair no  The Westin Dragonara Resort Malta, pois tanto as descrições, imagens como os comentários deixaram-me completamente rendida e seduzida pelo mesmo. Não me arrependi de todo, pois cumpriu muito cabalmente as expectativas que criei acerca dele.

Malta - mapa do complexo do Hotel

Se o recomendo a quem pretenda visitar Malta futuramente? Claro que sim, mas deixo apenas umas pequenas advertências.

  • Se o objectivo principal da visita a Malta for explorar ao máximo os locais no arquipélago, e o pretender fazer usando transportes públicos, leia-se autocarro, então talvez seja preferível ficar alojado em Valletta, a capital do país, pois à entrada do centro histórico de Valletta encontra-se a central de paragem de autocarros, e daí estes partem para qualquer dos destinos pretendidos. (Aviso: Os horários dos autocarros não são muito fiáveis, ao contrário do que me habituei na Alemanha, e isso incomodou-me um tanto, ainda mais porque esperar ao sol com temperaturas elevadas não é de todo agradável. Admito que o não cumprimento dos horários estipulados deve ser influenciado pelo trânsito por vezes congestionado e aparentemente caótico).

touristmap Malta

  • Como um hotel muito requisitado, pelo menos em Agosto, as taxas de ocupação são muito elevadas, reconhecem ser difícil por vezes cumprir os horários de check-in, condicionados pelos de check-out (até às 12h). Refiro este pormenor porque no dia de chegada a Malta e ao Hotel, apesar do check in supostamente ser possível a partir das 15h, o nosso quarto só ficou disponível depois das 16h. (Pelo incomodo fomos presenteados com uma garrafa de Vinho Monte Kristo Merlot 2008.)

Malta - garrafa Monte Kristo

  • Por questões escalonamento, provavelmente, cerca das 8:30h tinham o hábito de bater à porta do quarto por duas vezes, uma para se certificarem se estava vazio e o podiam arrumar, e outra para contabilizarem se tinha sido consumido algo do mini-bar. Assim, caso pretendam aproveitar as férias para se levantarem mais tarde ou sem horários definidos, tenham em atenção o quão importante pode ser o pormenor de colocar na porta o aviso do “não incomodar”.

Mas o que realmente merece destaque no hotel são os seus pontos fortes.

  • Óptima localização na primeira linha junto à costa mediterrânica, com direito a “praia particular” (de reduzidíssima dimensão em termos de extensão de areia, mas com área pavimentada e rochosa para compensar).

Malta - Area de praia no Westin Dragonara

  • 2 áreas de piscinas independentes, cada com um bar de apoio.

Malta - Areas de piscinas no Westin Dragonara

  • Pequeno-almoço com uma oferta muito diversificada, abundante e fantástica, sem dúvida a melhor forma de começar os dias

Malta - Pequeno-Almoco no Westin Dragonara

  • Quartos muito confortáveis, espaçosos e com todas as comodidades expectáveis, embora admita que esperava maior requinte de acabamentos.

Malta - Area do quarto no Westin Dragonara

  • Funcionários sempre muito atenciosos e prestáveis…

No computo geral, um Hotel 5 estrelas com todo o mérito para isso.

Quem procure uma estância turística, este hotel proporciona isso muito cabalmente com os vários restaurantes, lojas e outros serviços e equipamentos ao dispor.

É realmente possível entrar no hotel no primeiro dia das férias, passar uns dias muito agradáveis, descontraídos e ocupados por lá, sem precisar de nada do exterior e só sair no ultimo dia. Mas esse não foi de todo o objectivo pretendido…

Malta - Westin Dragonara no dia da despedida

4 thoughts on “Depois das férias…

  1. “É realmente possível entrar no hotel no primeiro dia das férias (…) sem precisar de nada do exterior e só sair no ultimo dia” – desculpe-me querida turista mas para mim isto é sinónimo de “prisão de alta segurança” – os resorts têm sobre mim um efeito depressivo…
    “Mas esse não foi de todo o objectivo pretendido” – sinceramente também não a estava a ver “fechada” num resort sem ir visitar os arredores🙂
    Bom regresso de férias!

    Mas creio que

    • Olá Maria Nunes!

      Pois, para mim também é muito castrador viajar para um local e depois não sair do Resort onde se fica alojado. A ideia de fazer uma reserva num Hotel/resort na modalidade do “tudo incluído” é realmente muito limitador de movimentos para se usufruir ao máximo da modalidade, mas para muitos é o ideal. Depende do que se procura quando se viaja de férias.

      Eu confesso que estive apenas uma vez nessa modalidade do “tudo incluído”, mas foi sobretudo porque não tive muito voto na matéria em relação ao destino nem à modalidade escolhidos. Foi na minha viagem de finalistas da Universidade quando estive com os meus colegas e amigos na Republica Dominicana (e mesmo assim, não resisti e optei por fazer algumas excursões extra, para conseguir conhecer um pouco realmente a região, caso contrário acho que dava em maluca)

      Beijinhos

  2. ops… tive dificuldade em ver a totalidade do meu comentário antes de “publicar” (o final saiu “atrapalhado” – desculpe.)
    beijinhos

  3. Muito boa a descrição.
    Mas fica uma grande lacuna de informação, que é exatamente o valor médio dos descritos e indicados.
    Sedia interessante adicionar este dado.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s