Em Valletta, o Palácio dos Grão-Mestres

Malta é um país que só se tornou independente do Reino Unido em 1964 e é uma República desde 1974.

Em Malta a primeira cidade visitada foi a sua capital, Valletta. Mas num passado já longínquo foi outra a capital do país, Mdina,

A cidade de Valletta começou a ser construída após a guerra dos turcos contra a Ordem dos Cavaleiros de S. João, então instalada em Malta, ter sido dada por terminada em 1565 quando os turcos se retiraram derrotados. A cidade ficou concluída em 1568. Assim sendo, a história da cidade não pode ser dissociada da história da própria famosa ordem, apelidada de Ordem de Malta.

Apelidada de museu ao ar livre, pois “possui mais de 300 monumentos numa área extremamente pequena, com fortalezas e muralhas defensivas em seu redor” como o artigo que encontrei muito bem ilustra.

O mapa seguinte do centro histórico de Valletta elucida acerca dos principais pontos turísticos a explorar, mas existem muitos outros.

Mapa de Valletta

Como mais vale explorar alguns monumentos convenientemente, do que tentar ver o máximo das atracções turísticas sem efectivamente ter visto nenhuma, seleccionamos quais as que não poderíamos perder.

No topo da lista estavam o Palácio dos Grão-Mestres e Arsenal e claro, a Co-Catedral de S. João.

O Palácio dos Grãos-Mestres e o Arsenal, é sobre o que se debruça este artigo.

“As Salas de Estado são a parte visitável do Palácio Presidencial situado no coração da Malta, na cidade de Valletta Património Mundial da Humanidade. O palácio em si foi um dos primeiros edifícios da nova cidade de Valletta fundada pelo Grão-Mestre Jean Parisot de La Vallette em 1566, poucos meses após o sucesso do Grande Cerco de Malta em 1565. O Palácio foi ampliado e desenvolvido pelos sucessivos Grão-Mestres para servir como sua residência oficial. Mais tarde, durante o período britânico, serviu como o Palácio do Governador e foi a sede do primeiro parlamento constitucional de Malta em 1921. O palácio é hoje a sede do Gabinete do Presidente da República e da Casa do Parlamento” (texto traduzido e retirado daqui).

Malta - Palácio dos Grao Mestres - inscricoes na Fachada exterior e entrada

Na área interior que é possível visitar, são os corredores repletos de frescos nas paredes e tectos o que mais me deixou deslumbrada.

Malta - Palácio dos Grao Mestres - primeiro Corredor

Malta - Palácio dos Grao Mestres - Corredores

E no chão, os vários brasões, evidenciam um pouco a história do próprio país, espelhada pelas alterações destes de acordo com a influencia e domínios a que esteve sujeito e da sua posterior independência.

Malta - Palácio dos Grao Mestres - brasoes no chao

Além de percorrer os corredores com os impressionantes frescos, também é possível visitar algumas divisões.

Salão de Jantar do Estado – salão utilizado para banquetes oficiais organizados em homenagem a dignatários de alto perfil e chefes de estado. Ele é decorado com mesas de consola com tampo de mármore do século XVIII que ostentam relógios de estante ornamentados e inclui uma lareira de mármore na extremidade. O salão original foi severamente danificado durante os ataques aéreos sofridos durante a Segunda Guerra Mundial e foi em grande parte reconstruido no estilo decorativo neo-clássico do século XIX.

As imagens nesta sala representam Chefes de Estado de Malta, incluindo a Rainha Elizabeth II de Inglaterra como rainha de Malta, após a concessão da independência às ilhas em 1964, e os presidentes da República no seguimento da Constituição Republicana de 1973″.(texto traduzido e retirado daqui)

Malta - Palácio dos Grao Mestres - Salao de jantar do estado

Sala do Grande Concelho ou Sala do Trono – “este salão foi originalmente usado para funções oficiais participadas do trono pelo Grão-Mestre da Ordem de S. João. Mais tarde, foi também utilizado com o mesmo fim pelos governadores britânicos ao longo dos séculos XIX e XX, e actualmente pelo Presidente da República de Malta. Durante o início do período britânico, os murais foram cobertos da vista por um esquema decorativo Neo-clássico que mudou completamente o caráter do salão. Foi então também renomeado de o Salão de São Miguel e São Jorge, com a instituição de uma nova ordem de cavalaria pelo rei George IV da Inglaterra. Os murais só foram descobertos novamente em 1908, mas a parede sul foi radicalmente alterada para incluir uma galeria de música.” (texto traduzido e retirado daqui)

Malta - Palácio dos Grao Mestres - Grande Camara de Conselho

Salão de Páginas ou Paggeria – “é o segundo salão principal das Salas de Estado. Esta salão foi anteriormente também conhecido como Sala amarela e, mais recentemente, como Sala Verde, em virtude das cores do tecido damasco que reveste suas paredes. Ele agora serve como uma sala de conferências para o Presidente da República de Malta. A sala de páginas, ou sala verde, como é mais popularmente conhecida, inclui uma série de pinturas e obras de arte de extrema importância histórica. Estes incluem obras de Antoine Favray (1706-1798) e Jusepe Ribera também conhecido como Lo Spagnoletto (1591-1652). Esta sala inclui algumas belas peças de mobiliário do século XVIII, incluindo armários malteses e embutidos de mogno. Outros itens neste quarto incluem vasos de porcelana vidrada chinesa azul-e-branco e vasos maiólicos de Urbino” (texto traduzido e retirado daqui).

Malta - Palácio dos Grao Mestres - Salao de paginas

Salão dos Embaixadores – “é o terceiro salão principal das salas de estado. Durante os tempos da Ordem de São João, ele foi usado por diplomatas estrangeiros para reuniões privadas com o Grão-Mestre. Hoje, é o local onde o Presidente de Malta recebe embaixadores apresentando suas credenciais. O Salão dos Embaixadores, detém funções importantes do estado, sendo neste que os novos ministros e funcionários do governo tomam posse . A sala, repleta de cortinas damasco carmesim, inclui retratos de monarcas e dignitários dos séculos XVII e XVIII, incluindo as que representam Catarina II, imperatriz da Rússia, Dimitri Gregoriovitch Levitzky (1735-1822), Louis XIV da França por Jean François de Troy (1679-1752) e Louis XV por Jean Baptiste Van Loo (1684-1745).” (texto traduzido e retirado daqui)

Malta - Palácio dos Grao Mestres - Salao do Embaixador

Com uma República tão recente, não é de estranhar que em apenas uma pedra de mármore possam estar inscritos todos os presidentes que a República de Malta já possuiu.

Malta - Palácio dos Grao Mestres - Placa com inscricao dos Presidentes de Malta

Já Comissários civis e Governadores de Malta (relativos ao período em que foi uma colónia do Reino Unido), a lista é mais extensa sendo o primeiro relativo ao período entre 1799 e 1801 e o ultimo de 1962 a 1964.

Malta - Palácio dos Grao Mestres - Placa com inscricao dos Governantes de Malta

Depois da visita às Salas de estado, estava por visitar o arsenal, dos cavaleiros da conhecida ordem militar de Malta.

Malta - Palácio dos Grao Mestres - o arsenal

Nesse domínio não faltavam armas de diversos géneros incluindo canhões e armaduras que remontavam a diferentes épocas.

Malta - Palácio dos Grao Mestres - o arsenal 1

Depois de visitados os pertences dos cavaleiros da ordem militar, eis chegada a altura de dar por concluída a visita ao Palácio dos Grão-Mestres

Termino assim este artigo com imagens do pátio interior do palácio.

Malta - Palácio dos Grao Mestres - Pátio interior

3 thoughts on “Em Valletta, o Palácio dos Grão-Mestres

  1. acho que não consigo ver o post completo… (termina em “O Palácio dos Grãos-Mestres e o Arsenal, é sobre o que se debruça este artigo.”)

  2. Pingback: Em véspera do aguardado Natal… | Turista Ocasional

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s