Um pouco do “country side” da Salzburger Land

As temperaturas negativas persistem, mas continuam acompanhadas por dias lindos e solarengos, pelo que existe uma forte atracção, que me puxa para aproveitar o que a natureza tem para me oferecer.

A questão é que continuo a não ser adepta dos desportos típicos de Inverno, mas fiquei fã de descer a montanha de trenó, depois de o ter experimentado na semana anterior.

Assim a palavra chave para pesquisar locais onde houvesse essa possibilidade, em países de língua oficial alemã é “Rodelbahn“. (Porque não dizer “na Alemanha”? Porque atendendo à localização geográfica de Munique, nem sempre os locais mais perto e/ou mais interessantes ficam necessariamente na Alemanha, podem ficar por exemplo na Austria.)

E foi justamente com essa ideia em mente que a minha pesquisa se direccionou para o Estado de Salzburgo (Salzburger Land), na Áustria, uma das regiões contíguas ao distrito Administrativo de Oberbayern (Baviera Superior),  de que Munique é capital e que pertence ao Estado da Baviera.

Os mapas abaixo  ajudam a perceber um pouco melhor a sua localização relativa.

oberbayern-e-salzburg

Claro que não precisaria de sair de Oberbayern sequer, para encontrar o que procurava, mas se na semana anterior já o tinha feito, em busca da Região do Allgäu, no distrito Administrativo de Schwaben, porque não fazê-lo uma vez mais? (Admito que ainda considerei duas regiões em Oberbayern, Berchtesgadener Land e Garmisch-Partenkirchen. Mas por diferentes motivos, foram preteridas. Garmisch-Partenkirchen por exemplo estaria particularmente congestionada no fim-de-semana, dado decorrer aí o Campeonato do Mundo de Ski)

A pesquisa na internet recaiu não apenas em “Rollerbahn” mas também “Snowtubing”, algo que o meu “5 Palmos” queria e não tinha conseguido fazer na semana anterior.

Foi uma das Estâncias de Esqui da região “Ski Amadé“, a de Radstadt -Altenmarkt que mais me cativou. (Radstadt dista de Munique 199km, o que equivale a 2h de viagem)

radstadt

O motivo da escolha de Radstadt ficou a dever-se sobretudo ao facto deste possuir um percurso para descida com trenós de 6km (um dos mais longos na região). Para facilitar a decisão, este percurso tem iluminação noturna, o que me garantia um pouco mais de segurança caso houvesse algum infortúnio e precisasse de ser resgatada.

Por outro lado, a forma de chegar lá acima é com teleféricos para 8 pessoas irem sentadas (“8er Königslehenbahn I), estando estes sempre a circular, o que faz com que não se criem praticamente filas de espera.

Outras questões “técnicas” pertinentes:

  • O ponto de partida em Radstadt, fica a 858 m de altitude;
  • Existe um amplo parque de estacionamento disponível e gratuito;
  • É possivel alugar ou comprar equipamento e acessórios desportivos na loja existente perto do parque de estacionamento;
  • Existe nas imediações um Café-Restaurante, o Unterberg Salettl, onde é possivel recarregar energias;
  • No Königslehenbahn, é possível alugar os trenós por 5€ cada (+5€ de depósito a ser restituido no momento de devolução dos mesmos), imediatamente antes de se entrar nos funiculares.
  • A subida no Teleférico tem uma paragem numa estação intermédia, onde inclusivé as portas dos funiculares são automaticamente abertas, mas só se deve sair na estação final, em Kemahdhöhe, a 1571 m de altitude.

radstadt-1

radstadt-teleferico

Kemahdhöhe é a estação final de mais do que um percurso de teleféricos quer telecabines quer telecadeiras:

  • 3 – Königslehenbahn II, 
  • 4 – Kemahdhöhebahn,
  • 6 – Hochbifangbahn II,
  • 7 – Hochbifangbahn I.

No mapa de curvas de nível seguinte, retirado daqui, além dos percursos dos teleféricos atrás mencionados, encontra-se igualmente bem assinalado a vermelho o percurso efectuado pelos trenós.

percurso-de-treno

No fim da viagem de teleférico, é uma lufada de ar fresco maravilhosa. A paisagem montanhosa avistada de outra perspectiva, vale por si ter feito a subida, ainda mais num dia de sol como aquele com que me deparei.

radstadt-rodelbahn-konigslehen_0032

No cimo da montanha além das estações finais dos teleféricos, algumas com um ar mais futurista, existe o Restaurante, Bar e Terraço Sportalm que possui um ar rústico, de madeira, com gastronomia regional austriaca.

radstadt-2

Desfrutar da paisagem e explorar um pouco mais as imediações nunca parece demais, ainda mais num dia tão agradável como o que encontrei.

radstadt-rodelbahn-konigslehen_0065

E não é apenas natureza no seu explendor máximo o que se encontra. Também encontrei manifestações católicas como uma cruz e uma escultura de S. José, N. Senhora e do Menino Jesus. Mas o que mais me surpreendeu foi encontrar um coração metálico vermelho para colocar cadeados, como muitos fazem em pontes.

radstadt-3

E ao lado do coração vermelho é onde se encontra o ponto de partida do percurso de descida de trenós. Preparei-me  não apenas fisicamente mas também mentalmente para a descida, mas ainda assim, deixei muitos passarem-me à frente, mesmo crianças com aparente muito mais experiência e empolgação do que eu.

radstadt-4

O percurso é mais largo que o primeiro que experimentei, mas possui igualmente algumas curvas bem fechadas, e algumas extensões de 1, 2 ou mesmo 3 km onde a dificuldade é parar dada a velocidade a que se pode atingir.

Existem no entanto duas curtas extensões onde o percurso ao invés de descer sobe, pelo que, a não ser que se vá a grande velocidade o que nunca procurou ser o meu caso, tem que se subir puxando pelo trenó. Outras áreas são mais planas, e nessas também tive que puxar pelo trenó pois não levava lanço suficiente para as fazer de outra forma.

radstadt-5

Depois do percurso concluido, restou-me ficar com a sensação muito agradável e positiva de uma hora talvez, muito muito bem passada. Adorei uma vez mais a experiência e continuo com vontade de voltar a repeti-la, numa outra aventura, em outro local, com um novo trajecto…

Mas o dia não estava dado por concluido. A seguir era altura de partir à procura do Snowtubing…

E para isso, tinha-se que rumar de automóvel em direcção a St.Martin am Tennengebirge, onde o Snow Tube Jausenstation Monigold ficava. A distância entre ambos os locais é de cerca de 18km.

O Snowtubing lá foi agradável, apesar de em termos de extensão ser bastante curto, com cerca de 250m, e não conter grandes curvas e contra-curvas (como admito estava a contar).

O meu “5 Palmos” gostou bastante, apesar de ter ficado amplamente satisfeito com apenas 3 descidas. Eu confesso que me fiquei por 2.

Seguro, fácil e agradável para os mais novos e totalmente inexperientes, é sem dúvida um dos pontos fortes do local… O outro é que não estava nada concorrido, pelo que foi fácil estacionar, apesar da quase inexistência de parque de estacionamento nas imediações.

snowtubing-em-st-martin

Reencontro em Salzburgo

É incontável o numero de vezes que já visitei Salzburgo, pelos mais diversos motivos.

Recentemente regressei a Salzburgo, por um motivo muito especial. Os meus pais passaram alguns dias de férias em Viena, e propus-lhes viajarem um dia de comboio até Salzburgo, para reverem a cidade e nos podermos reencontrar também.

Os bilhetes para a viagem foram comprados antecipadamente no site da ÖBB, companhia ferroviária nacional austríaca, de forma bastante simples e expedita. Assim em poucos minutos ficaram com o bilhete em pdf nas suas mãos, e só tiveram que esperar pelo dia agendado para o usarem.

O comboio com partida às 08:36 da estação de comboios ocidental de Viena (WIEN WESTBAHNHOF) tinha hora prevista de chegada à estação central de Salzburgo (SALZBURG HBF) às 10:58. A viagem de regresso foi marcada com partida de Salzburgo às 19:02 e chegada  a Viena às 21:24. Viena e Salzburgo ficaram assim a cerca de 2h20 de distância.

Confesso, que apesar de partirem de um local mais distante que eu (que de Munique estava a cerca de 143 km de distancia), chegaram primeiro ao local de encontro definido, o Palácio e Jardins de Mirabell, o local perfeito, pois dista cerca de 930 m da estação central da cidade. Quando cheguei já tinham explorado bastante bem os jardins…

Salzburgo - Palácio e jardins de Mirabell

O dia presenteou-nos com sol e calor, pelo que a visita a Salzburgo foi ainda mais agradável.

O mapa detalhado com as principais atracções turísticas devidamente identificadas, pode ser encontrado no site oficial de Salzburgo, clicando aqui.

Um dos primeiros locais visitados depois dos sempre encantadores e deslumbrantes jardins de Mirabell, foi ditado pelo meu três palmos, que insistia que queria almoçar.

O Restaurante escolhido, ainda do lado da cidade nova, na Linzergasse 9, foi o Gabler Bräu, que se orgulha de existir desde 1429.

Com uma longa história de cerca de 584 anos, foi mencionado pela primeira vez como pousada em 1429, apesar de na altura com um outro nome “Pirprew”. Mudou várias vezes de proprietário até que em 1535 foi adquirido pela família Gabler, a Bräu (cerveja), de onde advém o nome Gabler Bräu. Em 1868 a cervejaria e pousada foi adquirida por Josef Mayr e em 16 de Julho 1868 Franz e Marie Mayr (pais do baixo-barítono de opera Richard Mayr) fizeram o contrato de aquisição e mantiveram-na na família até ter sido adquirida mais tarde pela Brau AG. Actualmente o edifício é propriedade da Immobilien Bauträger AG, que renovou todo o complexo nos anos de 2011/2012.

Salzburg - Gabler Bräu

Os pratos escolhidos, de uma ementa com pratos típicos regionais, revelaram-se bastante saborosos e genuínos. Recomendo sem dúvida alguma, este local para uma descontraída e deliciosa refeição na cidade, rodeada pela história que transpira pelas  paredes do edifício…

Depois de saciado do almoço, o meu três palmos estava em condições de explorar uma vez mais a cidade berço de Wolfang Amadeus Mozart.

Depois de atravessada uma das pontes sobre o rio Salzach (a Staatsbrücke, ponte do estado), chegamos ao centro histórico da cidade.

Salzburgo - Ponte do estado

Percorrer a Getreidegasse, a rua comercial pedonal mais famosa e típica da cidade, com os reclamos tradicionais metálicos a sobressaírem das fachadas das lojas, é algo quase obrigatório para um turista na cidade, e tem um atractivo extra principal, o facto de ser no numero 9 desta rua que se encontra a Casa de nascimento e Museu de W. A. Mozart. 

Salzburgo - Getreidegasse

Ao fim desta rua encontra-se a Igreja de São Brás, na Bürgerspitalgasse 2, e virando à esquerda, um pouco depois, pode-se vislumbrar a Praça Karajan com a Pferdeschwemme (local onde os cavalos se podiam lavar e refrescar depois do árduo trabalho), onde efectivamente sobressai a temática dos cavalos, quer nas pinturas quer na estátua no meio da fonte.

Salzburgo - Praca Karajan

Daí o percurso continuou para a Praça da Universidade (Universitätsplatz), onde se realiza em alguns dias da semana uma espécie de pequeno mercado de flores e outros artigos, em frente a Igreja Universitária.

Salzburgo - Igreja Universitária - exterior

Salzburgo - Igreja Universitária - interior

Alter Markt é considerado o centro do centro histórico da cidade. Aqui pode-se vislumbrar a fonte de S. Floriano, e a “residência” de algumas das lojas de marcas de maior prestigio internacional como a Hermès por exemplo.

Salzburgo - Alter Markt

É também aqui que se encontra um dos Cafés-Confeitarias Fürst, onde se podem adquirir as famosas Mozartkugel (esferas Mozart) originais de Salzburgo, típicos chocolates e conceituadas lembranças da cidade.

Salzburgo -Café confeitaria Fürst

A Praça da Residência com a sua fonte, fica logo a seguir, a anteceder a praça onde se encontra o ponto fulcral e central da diocese, a catedral da cidade.

Salzburgo - Praca da residencia

A Catedral de Salzburgo, Igreja dedicada a S. Ruperto de SalzburgoSt. Virgilio de Salzburgo, situada na Domplatz é outro dos marcos incontornáveis no centro da cidade.

Salzburgo - Catedral

Com tantos motivos de destaque, o interior da catedral merece, para ser apreciado devidamente, que se despenda bastante tempo a percorrer a nave central e laterais, o que desta ultima vez não aconteceu.

Salzburgo - Catedral - interior

Depois da Catedral, passando pela Kapitelplatz, em direcção ao funicular pelo qual é possível chegar à Fortaleza, é impossível não parar para apreciar a esfera dourada gigante, uma obra de arte de  Stephan Balkenhol.

Salzburgo - Kapitelplatz

Após uma breve passagem pelo cemitério compreendido no complexo de S Pedro, no qual parece sempre um pouco mórbido tirar fotografias, o percurso continuou até ao ponto de partida do funicular que nos levaria à fortaleza Hohensalzburg.

Salzburgo - planta do complexo de S Pedro

A fortaleza indiscutivelmente tem diversos focos de interesse para visitar (como o Museu de Marionetas, o Museu da Fortaleza ou os aposentos da regência, por exemplo), mas a possibilidade de apreciar a cidade de um local sobranceiro como o que esta proporciona, coloca a sua visita no topo de qualquer lista dos locais a visitar em Salzburgo.

Salzburgo - avistado da Fortaleza Hohensalzburg

Depois de devidamente explorado tudo o que a Fortaleza poderia oferecer, e de descer usando uma vez mais o funicular, eis chegada a altura de começar a fazer o percurso de regresso e de despedida do centro histórico da cidade, mas continuando a usufruir do que a cidade tem para oferecer.

Pelas ruas Judengasse e Goldgasse, encontram-se sobretudo as lojas onde é Páscoa e Natal durante todo o ano. Lá é sempre difícil resistir à tentação de não adquirir pelo menos um ovo incrivelmente e magistralmente decorado, e leva-lo para casa, o problema é perante uma gama tão vasta, escolher o que se gosta mais.

Salzburg - Páscoa e Natal o ano todo

Esta visita a Salzburgo, acabou sensivelmente no mesmo local que começou, nos jardins de Mirabell, depois de atravessar a ponte Makartsteg, apreciar o Hotel Sacher Salzburg, de um lado e  o centro histórico da cidade do outro.

Salzburgo - na despedida

Outros locais no centro histórico da cidade ficaram por rever, o que não foi grave, pois Salzburgo é uma cidade à qual dá sempre vontade voltar.

Há outlets e outlets…

Munique possui nas imediações, várias lojas que se intitulam de outlets de marcas mais ou menos conceituadas, consoante as preferências de cada um. São lojas que se comprometem a vender artigos a menor preço, mas ao contrário da noção original, não se limitam a disponibilizar artigos de colecções passadas e descontinuados. Na maioria dos casos os artigos são das colecções actuais, o que convenhamos é muito mais interessante.

Mas não possui nenhum centro comercial dedicado exclusivo a esta temática cada vez mais em voga. (Se excluirmos o Parsdorf city que de tão pequeno não o consideraria como tal).

No entanto, a uma distancia razoável do centro de Munique (o primeiro a cerca de 80 km e o segundo cerca de 138 km) é possível encontrar 2 Outlets que são um verdadeiro paraíso para um Shopaholic. São membros de diferentes cadeias de outlet. O primeiro da cadeia  Chic Outlet Shopping e o segundo da McArthurGlen Designer Outlets, mas possuem lojas de marcas comuns.

O Ingolstadt Village (Otto-Hahn-Str. 1, 85055 Ingolstadt) é um desses outlets e já o abordei aqui.

O Salzburg Designer Outlet (Kasernenstrasse 1, 5073 Wals-Himmelreich, Salzburg, Austria) é o outro, e esse pretendo apresentar hoje aqui.

Esta é a localização de ambos relativamente a Munique. O primeiro fica perto de Ingolstadt e o segundo na Austria, perto de Salzburgo.

A ultima vez que visitei o Salzburg Designer Outlet, este já estava preparado cabalmente para receber a época natalícia. Talvez mesmo, pouco tempo antes tenha acolhido as equipas de filmagens para algumas das cenas do filme “Als der Weihnachtsmann vom Himmel fiel” de que falei aqui.

Nesta visita fui acompanhada por duas pessoas de quem gosto muito: o meu dois palmos e a minha mãe que na altura nos tinha vindo visitar. Não posso falar por ela mas presumo que apreciou bastante ter ficado a conhecer também este outlet (o primeiro ela já conhecia e durante esta estadia também o visitou, a seu pedido expresso).

Este outlet encontra-se localizado num edifício imponente, cheio de charme, e recheado por lojas de perder a cabeça.

Neste prospecto do Salzburg Designer Outlet encontram a planta do outlet com as lojas distribuídas pelos seus dois andares, além de outras informações relevantes.

Tudo sempre muito bem assinalado para não se “perder o Norte” depois de tantas tentações.

Para surpresa minha, encontrei aqui uma bola de Natal do género da que já tinha “namorado” antes, quando visitei o Drachenburg, mas que por ser branca não adquiri na altura. Desta vez trouxe-a mesmo comigo para casa, apesar de estar consciente que não a poderia colocar na minha árvore de Natal. Encontrei-a na loja da Seltmann Weiden, já que é desta marca alemã de porcelana.

Acabei por coloca-la a coroar a minha jarra. Uma jarra que originalmente foi adquirida para colocar no meio da minha coroa do advento, mas que por um erro de estimativa,  tem um diâmetro da base superior ao do interior coroa.

Palácio de Hellbrunn – durante um dia quente

O Palácio de Hellbrunn localiza-se nas imediações do centro de Salzburgo, na Áustria, na Fürstenweg 35.

O mapa seguinte ajuda a ter uma noção relativa da sua localização em relação ao centro da cidade de Salzburgo.

Trata-se de um Palácio de Verão, o que é sinónimo de ser um local de celebração e de comemoração dos prazeres da vida, bem como de recuperação da agitação da vida quotidiana. No século em que foi construído, sec. XVI, essa era uma realidade possível para a nobreza e realeza, hoje uma realidade para qualquer pessoa.

Este palácio, parque e jogos de agua foram mandados construir entre 1613-19 pelo Príncipe-Arcebispo de Salzburgo Markus Sittikus Hohenems. Como o Hellbrunn  seria usado apenas como uma residência de Verão diurna, uma vez que o Arcebispo usualmente regressava a Salzburgo ao fim do dia, não existe qualquer quarto de dormir neste palácio.

O nome Hellbrunn deriva do facto de ser abastecido por uma fonte de agua cristalina.

O mapa das infraestruturas do palácio, parque e jogos de água são apresentados no esquema abaixo, com a respectiva legenda.

A composição de fotos seguintes ilustra o parque e o palácio vistos do exterior.

Da compilação anterior gostaria apenas de salientar o 27, o Pavilhão, usado pela família von Trapp de Salzburgo no filme “Sound of Music”.

Mas o interior do Palácio também merece uma visita e as fotos seguintes são uma pequena amostra disso.

No entanto são os jogos de agua, que são a atracção principal de Hellbrunn. Segundo o site, abertos desde 1 de Abril. Como um dos pontos fortes destes jogos de agua, são o inesperado e a capacidade de surpreender, propositadamente, nas duas compilações de fotos seguintes, não coloquei qualquer referencia à legenda das mesmas, nem farei qualquer descrição do que se tratam e envolvem.

Espero no entanto, que as fotos sejam suficientemente sugestivas, para vos despertar a curiosidade e realizarem uma visita guiada a estes jogos de água, se tiverem oportunidade disso.

Para finalizar, apenas uma advertência, escolham um dia quente e de sol, para a visita guiada aos jogos de água e não se surpreendam se estiverem um pouco molhados no fim dessa visita.

Mercados de Natal – Salzburgo

Salzburgo é uma cidade que merece ser visitada em qualquer altura do ano, pois é realmente muito interessante.

Já a visitei quase em todas as estações do ano e trago sempre boas recordações e a vontade de uma vez mais lá voltar. Tem um centro histórico muito atractivo e muitos pontos turísticos por metro quadrado.

Assim não será surpresa para ninguém, se disser que tinha imensa vontade de lá voltar desta vez especialmente para ficar a conhecer os seus Mercados de Natal. Tal como esperava não me desapontou minimamente, muito pelo contrário. Mas também outra coisa não seria de esperar, atendendo a tratar-se de uma cidade tão selecta e possuir lojas de produtos natalícios durante todo o ano. Afinal tal indicador indicia a importância que a cidade atribui a esta época do ano em especial (mas não é a única atendendo a que as lojas de ovos, tem motivos decorativos para os mesmos para qualquer festividade, por exemplo).

Em relação aos Mercados de Natal achei particularmente interessante a quantidade de presépios (alguns centenários) que têm expostos em vários locais do centro da cidade. O mapa da cidade do Advento é uma forma expedita de constatar isso mesmo, pois  identifica e assinala não apenas os Mercados de Natal (com o icon de uma árvore de natal) mas também os presépios (com o icon de uma estrela cadente) espalhados pela cidade.

O frio intenso (temperaturas negativas), não nos demoveu de visitar alguns dos Mercados de Natal e presépios, mas admito que talvez tenha refreado a vontade de ficar a conhecer todos e me tenha cingido aos principais.

Não posso deixar de agradecer a quem me acompanhou nesta visita a Salzburgo, proporcionando uma agradável companhia, tendo-se sujeitado às condições climatéricas menos agradáveis.